Leia mais:
Leia mais:
Estudo mostra bebês prematuros extremos que sobrevivem ao parto também melhoram os desfechos de neurodesenvolvimento
Perfil metabólico nas mulheres em amamentação exclusiva após uma gestação com diabetes gestacional
AAP 2021: detecção e tratamento da Síndrome de Abstinência Neonatal
AAP 2021: dexmedetomidina intranasal para sedação de crianças em procedimentos não dolorosos
Autoconhecimento e empoderamento feminino com foco na saúde da mulher

Novo estudo indica que “mais plantas, menos carne, menos diabetes”

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Um novo estudo publicado no JAMA Internal Medicine trouxe uma observação sobre alimentação. Ele indica que uma alimentação mais centralizada no consumo de plantas e com menos carne traz uma menor probabilidade do desenvolvimento do diabetes tipo 2 em pessoas de meia-idade do que uma dieta com mais carne, peixe, ovos e laticínios.

No geral, as pessoas com ingestão mais alta versus a mais baixa de quaisquer alimentos à base de plantas tiveram um risco 23% menor de desenvolver diabetes tipo 2, independente do índice de massa corporal (IMC), em um acompanhamento de 2 a 28 anos.

E aqueles com a mais alta versus menor ingestão de alimentos saudáveis ​​à base de plantas – ou seja, frutas, legumes, grãos integrais, legumes e nozes – tiveram um risco 30% menor de diabetes incidente.

“Até onde sabemos, o presente estudo fornece as evidências mais abrangentes sobre a associação entre padrões alimentares baseados em plantas e incidência de diabetes tipo 2”, disse Frank Qian, mestre em saúde pública do Departamento de Nutrição, em Harvard.

Frank Qian reconhece que esta meta-análise de nove estudos observacionais em países de alta renda não pode mostrar causa e efeito e que a ingestão foi baseada em respostas autorreferidas a um questionário de frequência alimentar.

Os participantes da categoria de maior adesão a uma dieta baseada em vegetais ainda consumiram durante o estudo de 1,7 a 3,9 porções / dia de laticínios, ovos, peixe ou carne.  Portanto, serão necessários estudos adicionais para verificar se reduzir ainda mais esse consumo aumentaria os benefícios para a saúde.

Novos estudos

“A carne e, especialmente, a carne processada estão associadas a mais casos de diabetes, insuficiência cardíaca, câncer, hipertensão, derrame cerebral, hiperlipidemia, ataques cardíacos e morte”, destacou Kim Allan Williams, chefe do departamento de Cardiologia da Rush University Medical Center, em Chicago, Illinois, nos Estados Unidos, em entrevista ao Medscape Medical News.

Como pano de fundo, Frank Qian e seus colegas explicam que não está claro se comer uma dieta mais vegetariana pode afastar o diabetes tipo 2.

Para investigar isso, eles realizaram uma meta-análise de nove estudos em cinco coortes dos EUA (Nurses ‘Health Study I e II, Adventists Health Study I e II, e Health Professionals Follow-up Study) e quatro outras coortes de todo o mundo. Grécia (ATTICA), Cingapura (Cingapura Chinese Health Study), Holanda (Rotterdam Study) e Taiwan (Tzu Chi Health Study).

A análise incluiu 307.099 participantes com idade média de 36 a 65 anos e um IMC médio de 23 a 36,7 kg/m2. Destes, 23.544 participantes foram diagnosticados com diabetes durante o acompanhamento.

No geral, os participantes com uma maior versus menor adesão a uma dieta baseada em plantas tiveram um risco reduzido de diabetes incidente tipo 2 (risco relativo [RR], 0,77; IC 95% 0,71 – 0,84), após ajuste para fatores de risco como IMC, idade, tabagismo e história familiar de diabetes.

Em quatro coortes com informações mais detalhadas, os participantes com uma adesão maior versus menor de uma “dieta saudável baseada em vegetais” tiveram um risco ainda maior de redução do resultado (RR, 0,70; IC 95%, 0,62 – 0,79).

Mecanismos Possíveis

Vários mecanismos podem explicar os achados do estudo. Alimentos à base de plantas contêm fibras, vitaminas e minerais, antioxidantes, compostos fenólicos e ácidos graxos insaturados. Com isso, melhoram a sensibilidade à insulina e a pressão sanguínea, reduzindo o ganho de peso a longo prazo e a inflamação sistêmica.

Por outro lado, “essas dietas também não enfatizam ou evitam carnes vermelhas e processadas, que demonstraram afetar adversamente o risco de diabetes tipo 2. Possivelmente devido ao seu alto teor de ferro heme ou colesterol dietético”. 

Segundo os pesquisadores, outras evidências experimentais poderiam ajudar a fornecer informações sobre outros novos caminhos que poderiam mediar a associação benéfica entre padrões alimentares baseados em plantas e diabetes tipo 2.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autora: 

Referências:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar