Os efeitos da quarentena na saúde mental

Tempo de leitura: 1 min.

A saúde mental em tempos de pandemia é uma preocupação constante. Foram documentados em todo o mundo aumento de ansiedade, depressão, estresse e até pensamento suicida associados à quarentena por Covid-19.

Um artigo publicado recentemente no JAMA propôs estudar os fatores de risco para esses efeitos psicológicos, avaliando estudantes universitários na França confinados à quarentena.

Saúde mental na quarentena

Participaram do estudo 69.054 estudantes, que relataram apresentar ansiedade (28%), estresse traumático (22%), depressão (16%) e o pensamento suicida (11%), com 43% relatando pelo menos um fator de risco.

Os principais fatores de risco identificados foram sexo não binário, sexo feminino, problemas com renda ou habitação, história de acompanhamento psiquiátrico, sintomas compatíveis com Covid-19, isolamento social e baixa qualidade de informação recebida.

Leia também: “Coronofobia”: o impacto da pandemia de Covid-19 na saúde mental

Uma das limitações do estudo que deve ser ressaltada é que embora o número de entrevistados seja grande, representa 4,3% dos alunos contatados e o viés de autosseleção pode ter alterado os resultados.

Mensagem prática

Identificar os fatores que aumentam a vulnerabilidade dos indivíduos durante a quarentena pode ser uma ferramenta útil para nos ajudar a recomendar abordagens específicas para mitigar a angústia e talvez melhorar o cumprimento das medidas de prevenção ao Covid-19.

Dentre estas, podemos ressaltar, com base no estudo, estimular atividades físicas, estreitar laços sociais e melhorar a qualidade das informações disponíveis.

Autora:

Referência bibliográfica:

Relacionados