Página Principal > Saúde & Tecnologia > Outubro Rosa: nova técnica pode reduzir radiação de mamografias em até 30%

Outubro Rosa: nova técnica pode reduzir radiação de mamografias em até 30%

Tempo de leitura: 2 minuto.

Pesquisadores da Escola de Engenharia de São Carlos, da USP, desenvolveram uma nova técnica capaz de restaurar imagens de mamografias 3D obtidas com até 30% a menos de radiação, sem comprometer a qualidade do exame. A informação foi publicada recentemente no Jornal da USP.

Para restaurar as imagens feitas com menor radiação, pesquisadores utilizaram técnicas computacionais de processamento de imagens, que filtram imperfeições das mamografias.

Para a pesquisa, foram selecionadas imagens clínicas de 72 pacientes fornecidas pelo Hospital da Universidade da Pensilvânia, entidade parceira no estudo. Após a restauração, as imagens foram analisadas por cinco especialistas do próprio hospital, que não encontraram diferenças entre as mamografias feitas com menos radiação e restauradas e as que receberam a dose de radiação convencional.

Os próximos passos da pesquisa são os testes clínicos. Nestes, médicos irão analisar as imagens restauradas para fechar o diagnóstico de um paciente.

A nova técnica já foi reconhecida em dois grandes eventos científicos de exames de imagem, o The 13th International Workshop on Breast Imaging, realizado em 2016 na Suécia, ficando entre os cinco melhores trabalhos da conferência; e na SPIE Medical Imaging, realizada nos EUA em 2017, onde conseguiu o prêmio de 2º lugar.

Veja também: ‘Rastreio do câncer de mama: nova diretriz muda recomendações sobre mamografia’

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.