Página Principal > Cardiologia > Oxigênio hiperbárico é eficaz no tratamento da intoxicação por monóxido de carbono?
visão embaçada de um médico

Oxigênio hiperbárico é eficaz no tratamento da intoxicação por monóxido de carbono?

Uma intoxicação por monóxido de carbono (CO) é uma das intoxicações fatais mais comuns, ocorrendo por inalação. CO é um gás incolor, inodoro, insípido e de início não irritante, resultante da combustão incompleta de hidrocarbonetos.

A intoxicação por CO aumenta as taxas de mortalidade em curto e em longo prazo nos pacientes afetados. Seu tratamento consiste sobretudo na administração terapêutica de oxigênio puro ou oxigênio hiperbárico, embora o tratamento ideal não seja consensual.

A oxigenoterapia hiperbárica (OHB) é uma modalidade terapêutica que consiste na oferta de oxigênio puro em um ambiente pressurizado a um nível acima da pressão atmosférica, habitualmente entre duas e três atmosferas. A OHB é segura apresentando poucas contraindicações e pode ser aplicada em câmaras com capacidade para um paciente ou para diversos.

Até o momento, não existe um consenso sobre o efeito da OHB e a mortalidade de pacientes com intoxicação por CO. Um estudo de coorte retrospectivo baseado na população nacional de Taiwan foi conduzido para esclarecer esta questão.

Foi utilizada uma base de dados de envenenamento nacional de Taiwan, e foram identificados 25.737 pacientes diagnosticados com intoxicação por CO entre 1999 e 2012, incluindo 7.278 pacientes que receberam OHB e 18.459 pacientes que não realizaram OHB. A média de idade dos pacientes que receberam OHB foi de 34,9 (desvio padrão: 14,7). A maioria dos pacientes tinha idade entre 20 e 50 anos (68,19%).

Quer receber diariamente notícias médicas no seu WhatsApp? Cadastre-se aqui!

Os pacientes que receberam OHB apresentaram menor taxa de mortalidade em comparação com os pacientes que não realizaram (hazard ratio [HR] ajustado: 0,74; intervalo de confiança [IC] de 95%: 0,67 a 0,81) após ajuste para idade, sexo, comorbidades subjacentes, rendimento mensal e condições concomitantes, especialmente em pacientes com idade < 20 anos (HR ajustado: 0,45; IC 95%: 0,26 a 0,80) e aqueles com insuficiência respiratória aguda (HR ajustado: 0,43; IC 95%: 0,35 a 0,53).

A menor taxa de mortalidade foi observada por um período de 4 anos após o tratamento da intoxicação por CO. Os pacientes que receberam duas ou mais sessões de OHB apresentaram menor taxa de mortalidade versus aqueles que receberam apenas uma vez.

Idade avançada, sexo masculino, baixa renda mensal, diabetes, malignidade, acidente vascular cerebral, alcoolismo, transtornos mentais, tentativas de suicídio e insuficiência respiratória aguda também foram preditores independentes de mortalidade. Atenção deve ser dada a esses fatores de risco, bem como à própria intoxicação por CO, a fim de alcançar uma maior sobrevida.

Conclui-se que a OHB está associada a uma menor taxa de mortalidade em pacientes com intoxicação por CO, especialmente naqueles com idade inferior a 20 anos e aqueles com insuficiência respiratória aguda. Os resultados deste estudo fornecem referências importantes para a tomada de decisão no tratamento da intoxicação por CO.

Autora:

Referências:

  • Huang CC, Ho CH, Chen YC, Lin HJ, Hsu CC, Wang JJ, Su SB, Guo HR, Hyperbaric oxygen therapy is associated with lower short- and long-term mortality in patients with carbon monoxide poisoning, CHEST (2017), doi: 10.1016/j.chest.2017.03.049.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.