Pandemia aumenta casos de ansiedade, depressão e estresse. O que podemos fazer? [Setembro Amarelo]

Estudo com estudantes universitários em Portugal revelou aumento de ansiedade, depressão e estresse nessa população durante a pandemia. Saiba mais.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

O Coronavirus Disease 2019 (Covid-19) atualmente é o maior problema de saúde do mundo. Desde dezembro de 2019, progressivamente a pandemia vem criando problemas diversos na vida das de todos nós. O isolamento social provoca problemas na economia, na vida afetiva, no trabalho e aumenta as vulnerabilidades psíquicas da população por conseguinte. Toda pandemia gera forte impacto na população, no entanto, por falta de recursos do mundo antigo, pandemias diversas ocorreram e não foram conhecidos os efeitos psicológicos que ocorreram na humanidade. Hoje com mais recursos podemos conhecer através da ciência e da pesquisa as repercussões de uma pandemia. Infelizmente, já sabemos que esta pandemia vem trazendo problemas severos a todos nós. 

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (WHO, 2020), a Covid-19 possui maior mortalidade que outras afecções respiratórias conhecidas como aquelas causadas pelo vírus do influenza. A questão mais sensível é relativa à necessidade de apoio ventilatório e complicações que causam o Covid-19. Sua transmissibilidade faz com que sejam necessárias medidas de isolamento social e é aí que nasce o problema relacionado à diminuição da saúde mental. O ser humano ao longo da humanidade tornou o encontro, o relacionamento entre pessoas e a festividade, momentos de lazer e por sua vez, felicidade. 

Muitas pessoas trabalham e estudam para ter no encontro o momento de maior felicidade do dia ou da semana. Tornou-se objeto de desejo, onde a vida em obrigação com os ofícios da sociedade seriam para proporcionar esses momentos. A pandemia veio e nos tirou isso! 

De certa forma, o encontro virtual ameniza mas não resolve. Ainda mais na América latina onde o encontro, o toque e o abraço possuem um valor inestimável de comunicação e expressão. A pandemia fez nos fez perder o sentido da vida, criado no hábito cotidiano de viver. O novo normal não é normal, por está entranhado em nossa cultura o encontro e a festividade. Fazemos o isolamento pela imensa necessidade. Afirmamos que por hora, é o que se deve fazer. Mas não é isso que pede o corpo.

Saiba mais: Cuidados de enfermagem na síndrome pós-Covid-19

Saúde mental e a pandemia

No corpo temos a necessidade de liberdade e de ir e vir, esse sentido torna-se princípio constitucional e base de nossa sociedade, justamente por ser um comportamento preterido a milênios pela humanidade. Mas o atual cenário veio de forma inesperada para nos dizer ao contrário disso. Veio para nos fazer olhar a vida através da janela. A tecnologia nos ajudou a trabalhar, a ver pessoas de forma virtual, a nos comunicar, mas não substitui o toque, a sensação de ir a um show, ao cinema, ao teatro, as corridas de rua, a praia lotada, a festas como o carnaval que fazem parte da nossa lembrança histórica e fazem parte do nosso calendário. As festas das cidades, da escola, do bairro. E as famosas festas juninas? E as festas culturais pelo país? E as pessoas que gostam de comemorar seus aniversários com os amigos? E os casamentos? Bom, poderíamos passar horas lembrando de tantas coisas boas. Temporariamente o mundo não é assim!

O produto final da mudança não preterida por nós, em muitos, faz nascer o adoecimento. O que caminha na contramão da felicidade não pode nos gerar potência de vida, mas sim vulnerabilidade. Essas precisam ser compreendidas e temos que buscar saídas para indicadores de vulnerabilidades. Sabemos que a ansiedade e a depressão se tornaram temas comuns de discussão. A ansiedade que considero a presentificação do futuro é a mais comum a ser encontrada nas pessoas. Já a depressão que considero ainda como a tristeza que não tem fim. Passa a figurar a vida das pessoas que entram em um quadro de anedonia e desesperança. O estresse por sua vez se instala na medida da insegurança e medo que as pessoas vivem nos dias atuais. O medo do adoecimento e da morte e a preocupação com seus entes queridos provocam um estado de vulnerabilidade para o adoecimento. 

Os resultados encontrados na literatura sobre ansiedade, depressão e estresse, revelam um aumento significativo de perturbações psíquicas em diversos locais pelo mundo. Um estudo realizado com estudantes  universitários em Portugal revelou aumento abrupto de ansiedade, depressão e estresse nessa população comparativamente ao estado psíquico anterior à pandemia. (MAIA e DIAS, 2020). Outros estudos revelam que o maior problema seria o confinamento e que por esse motivos temos o aumento da ansiedade, depressão e estresse. (WANG et.al. 2020; BARROS et. al. 2020). Os achados ainda revelam impactos no sono e nos hábitos alimentares das populações estudadas. E relatam que pessoas com antecedentes de vulnerabilidade como a depressão e transtornos de ansiedade foram as que mais tiveram os sinais e sintomas pós-pandemia. 

O que podemos fazer?

Não é fácil mudar os hábitos e rotinas de vida , não é mesmo? Eu sei que não é fácil. Mas precisamos fazer um esforço para tal. Os profissionais de saúde devem ser capacitados a criar condições para as pessoas melhorarem seus hábitos de vida, prevenindo assim os indicadores de vulnerabilidade que geram ansiedade, depressão e estresse. Esses são considerados transtornos mentais comuns que são observados em diversas situações onde o aumento de estímulos, ou a ociosidade é agente estimulador de um estado de adoecimento. Mesmo sabendo que esse espaço é destinado a ações para que profissionais desenvolvam a produção do seu serviço, hoje vamos propor possíveis atividades que profissionais de saúde também possam realizar, uma vez que é um dos grupos de maior vulnerabilidade. Lembrando que os enfermeiros são os profissionais que mais adoeceram e morreram durante a pandemia.

  • Evite estratégias de coping (enfrentamento) negativas à saúde, tais como: excesso de álcool, alimentação não saudável, uso indevido de medicamentos;
  • Diminua estímulos estressores provocadores de quadros ansiosos, como excesso de informações da mídia ou uso excessivo de dispositivos mobiles (celular);
  • Crie uma rotina de atividades e tente cumpri-las, lembre-se que os quadros depressivos podem ser evitados na medida em que compreendemos que a atividade ,pode ser um movimento contrário ao estado depressivo;
  • Crie rotinas de lazer e não se esqueça que o equilíbrio  é fundamental para uma vida com saúde. O excesso sempre será prejudicial a nossa vida, seja ele relacionados aos hábitos alimentares, no uso de álcool, no uso de tecnologia, e também quando há falta de relacionamentos, de contato social, de hipoalimentação, hipoafetividade etc;
  • Crie a partir da tecnologia encontros com os amigos e família, lembre-se que todos nós esperamos que logo, tudo passe. Por isso, aproveite o tempo com a família;
  • Respeitando as medidas sanitárias, faça passeios possíveis, caminhada ao ar livre, utilize espaços da residência quando possível. Mas respeite o distanciamento social sempre. O momento é de atenção e devemos nos resguardar;
  • Observe os momentos do dia em que há maior estímulo estressor. Crie rotinas que diminuam esses estímulos;
  • O autoconhecimento é fundamental para que possamos nos conhecer. O encontro consigo pode ser algo bem complexo. Por isso, busque ajuda profissional caso não consiga o equilíbrio sozinha(o). Lembre-se o momento é delicado e todos estamos passando por diversas vulnerabilidades;
  • Compartilhe suas dores se possível. Compreender que não estamos sozinhos no mundo é importante para afastar a culpabilidade que geralmente se constrói no processo de adoecimento;
  • Tenha esperança, o mundo mudou, mas logo voltaremos a ter mais contato com nossos entes queridos. Agora é hora de protegê-los. Tudo vai ficar bem e esse texto se tornará apenas uma lembrança.

Leia também: Transtornos mentais em pacientes pós-internação por Covid-19

Lembre-se que se manter equilibrada (o) é fundamental para que possamos passar por essa terrível pandemia. Vamos tentar olhar para frente com esperança, na certeza de que dias melhores virão. Muito já se passou e sabemos agora que precisamos cuidar de nossa saúde mental. O que podemos aprender com esta pandemia é que a saúde mental deve ser nutrida diariamente. Não podemos fazer algo só pós-adoecimento. Não, pelo contrário! Faremos agora para não adoecer. Essa forma de pensar pode parecer um tanto quanto romântica, mas o equilíbrio e a busca da saúde já estavam descritos na antiguidade e esse ideal deve ser perseguido por todos nós.

Referências bibliográficas:

  • Maia, B. R., & Dias, P. C. (2020). Ansiedade, depressão e estresse em estudantes universitários: o impacto da COVID-19. Estudos de Psicologia (Campinas), 37, e200067. 
  • Wang, C., Pan, R., Wan, X., Tan, Y., Xu, L., & Ho, C. (2020). Immediate psychological responses and associated factors during the initial stage of the 2019 Coronavirus Disease (COVID-19) epidemic among the general population in China. International Journal of Environmental Research and Public Health, 17(5), 1729. 
  • World Health Organization. (2020b). Coronavirus disease 2019situation Report-46 Geneva: Author. Retrieved from https://www.who.int/docs/default-source/coronaviruse/situation-reports/20200306-sitrep-46-covid-19.pdf?sfvrsn=96b04adf_2. Disponível em: https://www.who.int/docs/default-source/coronaviruse/situation-reports/20200306-sitrep-46-covid-19.pdf?sfvrsn=96b04adf_2

 

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão