Página Principal > Ginecologia e Obstetrícia > Quais antibióticos aumentam risco de teratogenicidade?
médica examinando paciente grávida

Quais antibióticos aumentam risco de teratogenicidade?

Tempo de leitura: 2 minutos.

Em um novo estudo, publicado na Pharmacoepidemiology, pesquisadores analisaram a relação entre o uso de antibióticos e risco de teratogenicidade no primeiro trimestre de gestação.

Para isso, os autores examinaram uma coorte de gestação de Quebec, no Canadá (1998-2008), com um total de 139.938 lactentes. A exposição a antibióticos foi avaliada no primeiro trimestre e as anomalias congênitas foram identificados no primeiro ano de vida.

Após o ajuste para possíveis fatores de confusão, a exposição à clindamicina foi associada a um risco aumentado de malformação congênita (OR: 1,34, IC de 95%: 1,02-1,77, 60 casos), malformações do sistema musculoesquelético (OR: 1,67, IC de 95%: 1,12-2,48, 29 casos) e defeito do septo ventricular/atrial (OR: 1,81, IC de 95%: 1,04-3,16, 13 casos).

A exposição à doxiciclina aumentou o risco de malformação do sistema circulatório (OR: 2,38, IC de 95%: 1,21-4,67, 9 casos), cardíaco (OR: 2,46, IC de 95%: 1,21-4,99, 8 casos expostos) e defeito do septo ventricular/atrial (OR: 3,19, IC de 95%: 1,57-6,48, 8 casos).

Foram observadas associações adicionais com quinolona (1 anomalia), moxifloxacina (1 anomalia), ofloxacina (1 anomalia), macrólido (1 anomalia), eritromicina (1 anomalia) e fenoximetilpenicilina (1 anomalia). Não foi observada ligação com amoxicilina, cefalosporinas e nitrofurantoína. Resultados semelhantes foram encontrados quando as penicilinas foram usadas como grupo de comparação.

Pelos resultados, os pesquisadores concluíram que o uso de clindamicina, doxiciclina, quinolonas, macrólidos ou fenoximetilpenicilina no primeiro trimestre de gestação está associado à malformações específicas de órgãos. As evidências indicam que amoxicilina, cefalosporinas e nitrofurantoína são seguros.

Veja também: ‘Fazer ressonância magnética durante a gravidez é seguro?’

Referências:

  • Muanda, F. T., Sheehy, O., and Bérard, A. (2017) Use of antibiotics during pregnancy and the risk of major congenital malformations: A population based cohort study. Br J Clin Pharmacol, doi: 10.1111/bcp.13364.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.