Página Principal > Colunistas > Qual tratamento tem melhor custo-benefício para otite média aguda em lactentes?
medico em consulta com paciente pediatrico

Qual tratamento tem melhor custo-benefício para otite média aguda em lactentes?

Tempo de leitura: 2 minutos.

Um trabalho americano publicado no Journal of Pediatrics no ano passado comparou qual opção de tratamento era mais custo efetivo para otite média aguda em crianças com menos de 2 anos na atenção primária. Os pesquisadores juntaram dados de outras pesquisas e separaram os pacientes em cinco grupos distintos:

  1. Pacientes com prescrição de amoxicilina.
  2. Pacientes com prescrição de amoxicilina – clavulanato.
  3. Pacientes com prescrição de cefdinir (cefalosporina ainda pouco usada em nosso meio).
  4. Conduta expectante, com retorno do paciente.
  5. Conduta expectante, porém com prescrição de antibiótico (amoxicilina) para que o responsável pela criança inicie o uso da medicação em um segundo momento, caso não haja melhora.

Para calcular a custo efetividade de cada conduta, foram analisados os efeitos colaterais de cada medicação, custo com visitas médicas e custo de antimicrobianos. O impacto da conduta na vida dos pacientes foi analisado de acordo com uma pontuação, que estimava a quantidade de dias vividos com boa qualidade nos trinta dias seguintes ao diagnóstico. Assim, o índice que calculava a custo efetividade era feito com a razão entre custo do tratamento e dias vividos com boa qualidade.

Complicações como mastoidites não foram consideradas, pois são muito raras e não interfeririam no resultado.

Embora mais barata, a conduta expectante também teve impacto em mais dias vivendo com pior qualidade de vida, o que deixou o índice prejudicado e fez dela uma opção ruim. Além disso, embora não houvesse custos com antimicrobianos como nas outras opções terapêuticas, houve maior custo com atendimento médico.

A conduta em que a prescrição já era deixada com os pais em um segundo momento foi considerada menos custo-efetiva, pois era associada a mais dias com menor qualidade de vida e o antibiótico geralmente era adquirido e administrado.

Entre as condutas que levavam em conta a administração imediata de antibióticos, amoxicilina e amoxicilina-clavulanato obtiveram melhor resposta na qualidade de vida do paciente que cefdinir. A resposta clínica à amoxicilina e amoxicilina-clavulanato foi parecida, o que favorece a escolha da amoxicilina como primeira linha, devido seu custo muito menor. Amoxicilina-clavulanato seria uma segunda opção.

Os autores também ressalvam ao final que esse estudo teve algumas limitações, como não terem considerado que o uso imediato de antimicrobianos pode aumentar a prevalência de bactérias resistentes. Eles também consideram que em outros cenários, como em locais em que adquirir antibiótico seja custoso ao paciente ou sistema, a conduta expectante possa ser a escolhida.

É médico e também quer ser colunista da PEBMED? Clique aqui e inscreva-se!

Autora:

Referências:

  • A Cost-Utility Analysis of 5 Strategies for the Management of Acute Otitis Media in Children, The Journal of Pediatrics, vol 189 – outubro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.