Cardiologia

Recomendações para a avaliação do condicionamento cardiorrespiratório durante a prática clínica

Diversos estudos revelam que baixos níveis de condicionamento cardiorrespiratório estão associados a um elevado risco de doenças cardiovasculares, mortalidade por todas as causas, além de taxas de mortalidade atribuídas a vários tipos de neoplasias, especialmente câncer de mama e câncer do trato digestivo/cólon.

Evidências epidemiológicas e clínicas demostram que o condicionamento cardiorrespiratório é considerado um preditor de mortalidade potencialmente mais forte do que fatores de risco estabelecidos, tais como tabagismo, hipertensão, colesterol alto e diabetes mellitus tipo II. Destaca-se que a melhora no condicionamento cardiorrespiratório está associada com uma redução no risco de mortalidade.

Neste contexto, uma recente publicação da American Heart Association revisou os conhecimentos atuais relacionados ao condicionamento cardiorrespiratório e os desfechos de saúde.

Essa ampla revisão sugeriu a adição do condicionamento cardiorrespiratório para a classificação de risco no manejo do paciente e incentivou diversas estratégias para reduzir o risco cardiovascular.

As recomendações gerais para a avaliação do condicionamento cardiorrespiratório durante a prática clínica foram:

  1. No mínimo, todos os adultos devem ter o condicionamento cardiorrespiratório estimado a cada ano durante seus exames anuais de saúde;
  2. Idealmente, todos os adultos devem ter o condicionamento cardiorrespiratório estimado usando um teste máximo, se possível usando teste de esforço cardiopulmonar, em uma base regular semelhante a outros serviços preventivos. A idade da primeira avaliação e o cronograma de acompanhamento ainda não foram estabelecidos. No entanto, os pacientes com maior risco de doenças cardiovasculares devem realizar a avaliação precocemente e devem ser mais frequentemente avaliados do que os pacientes que não apresentam esse perfil;
  3. Os adultos com doença crônica devem ter a avaliação do condicionamento cardiorrespiratório com um pico ou teste de esforço cardiopulmonar limitado por sintomas.

Autor: 

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Referências:

  • Ross R, Blair SN, Arena R, Church TS, Després J-P, Franklin BA, et al. Importance of Assessing Cardiorespiratory Fitness in Clinical Practice: A Case for Fitness as a Clinical Vital Sign: A Scientific Statement From the American Heart Association [Internet]. Circulation. 2016. Available from: https://circ.ahajournals.org/lookup/doi/10.1161/CIR.0000000000000461
Compartilhar
Publicado por
Juliana Festa

Posts recentes

Uso da inteligência artificial para otimização do tratamento da sepse

Estudo avaliou modelo computacional no campo da Inteligência Artificial, capaz de sugerir tratamentos otimizados para…

6 horas atrás

Check-up Semanal: semana da sepse, dieta vegetariana em crianças e mais! [podcast]

Check-up Semanal: confira as últimas notícias sobre semana da sepse, dieta vegetariana em crianças, apendicite…

7 horas atrás

Anestesia e síndrome carcinoide: o que precisamos saber?

A síndrome carcinoide pode surgir quando os peptídeos vasoativos secretados pelas células tumorais entram na…

8 horas atrás

Anvisa aprova uso de baricitinibe em pacientes hospitalizados com covid-19

A Anvisa aprovou uma nova indicação para o baricitinibe: o tratamento de adultos hospitalizados com…

9 horas atrás

Qual é a melhor combinação no tratamento conservador de lesões do manguito rotador?

Um estudo analisou o melhor regime de supervisão dos exercícios e o benefício das infiltrações…

10 horas atrás

AVC: como obter certificação online para aplicação da NIHSS

Foi criada uma escala para quantificar a magnitude e gravidade do AVC, a NIHSS, sendo…

11 horas atrás