Ressonância magnética funcional pode explicar como pacientes acordam do coma

Estudo mostrou interrupções significativas nas conexões entre certas regiões cerebrais e o córtex cingulado posterior nos indivíduos comatosos em comparação com controles saudáveis.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Um estudo publicado na Neurology mostrou interrupções significativas nas conexões entre certas regiões cerebrais e o córtex cingulado posterior nos indivíduos comatosos em comparação com controles saudáveis.

Além disso, a atividade cerebral entre o córtex cingulado posterior, que está fortemente associada à função cognitiva, e o córtex pré-frontal medial diferiram significativamente entre pacientes que eventualmente se recuperaram de seus comas e aqueles que permaneceram em um estado minimamente consciente ou vegetativo.

Os autores observaram padrões semelhantes entre o córtex cingulado posterior e o córtex pré-frontal medial em indivíduos saudáveis e pacientes que recuperaram a consciência.

Os pesquisadores compararam 27 pacientes comatosos que sofreram lesões cerebrais graves (trauma ou isquemia/anoxia) com 14 indivíduos saudáveis pareados com a idade. O protocolo de imagem incluiu 11 minutos de fMRI (Ressonância Magnética Funcional) de estado de repouso em um equipamento de 3-tesla.

Mais do autor: ‘Imagem nas demências – onde estamos e para onde iremos’

A avaliação clínica padronizada e os exames de IRMF foram realizados em uma média de quatro dias após os medicamentos sedativos serem suspensos dos pacientes comatosos. Os pesquisadores concentraram-se na área do córtex posteromedial para os exames de IRMF, com base em estudos recentes que sugerem que esta região desempenha um papel importante na regulação da consciência.

O acompanhamento revelou que quatro pacientes comatosos recuperaram a consciência três meses após o trauma, enquanto os outros pacientes permaneceram em um estado de consciência mínima ou vegetativa. Silva e colegas rastrearam a diferença clínica entre os pacientes recuperados e aqueles ainda em coma com a diferença significativa na força de conectividade funcional entre o córtex cingulado posterior e o córtex pré-frontal mediano no estágio agudo do coma quando os indivíduos foram examinados.

Pesquisas adicionais são necessárias para validar os resultados, mas esse trabalho representa um importante avanço no entendimento do coma e seu prognostico.

É médico e também quer ser colunista da PEBMED? Clique aqui para se inscrever!

Referências:

  • Disruption of posteromedial large-scale neural communication predicts recovery from coma
    Neurology December 8, 2015vol. 85no. 23 2036-2044
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades