Risco de IAM entre pacientes com FA não-valvar em uso de anticoagulantes orais

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos. Sabemos que a prevalência de fibrilação atrial (FA) tende a aumentar junto com o envelhecimento populacional. Não é sem motivo, que nos últimos anos, a indústria farmacêutica vem investindo em desenvolver anticoagulantes orais (NOACs, na sigla em inglês) seguros e com não-inferioridade aos antagonistas de vitamina K (AVK), que têm …

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Sabemos que a prevalência de fibrilação atrial (FA) tende a aumentar junto com o envelhecimento populacional. Não é sem motivo, que nos últimos anos, a indústria farmacêutica vem investindo em desenvolver anticoagulantes orais (NOACs, na sigla em inglês) seguros e com não-inferioridade aos antagonistas de vitamina K (AVK), que têm a varfarina como principal substância em uso aqui no Brasil.

Alguns estudos recentes sugeriram, em análises secundárias, que o risco de infarto agudo do miocárdio seria menor com alguns desses NOACs em comparação aos AVK. Sabemos também que os estudos costumam excluir pacientes mais idosos e frágeis. Para melhor avaliar o risco de IAM em pacientes com FA não-valvar em uso dos diferentes anticoagulantes orais, comparando os riscos entre estes e com os AVKs, um estudo envolvendo a população dinamarquesa e seu registro nacional de saúde foi desenvolvido e publicado no JACC recentemente.

Esse estudo envolveu pacientes de 2013 a 2016 com diagnóstico de FA, seja em consulta ambulatorial ou internação hospitalar, e virgens de tratamento com anticoagulantes orais (ACOs) e que receberam tal prescrição. Um total de 31.339 pacientes foram incluídos (mediana de idade 74 anos e 47% do sexo feminino).

  • Desfecho primário: primeiro episódio de hospitalização por IAM no primeiro ano de uso de ACOs;
  • Desfecho secundário: composto de IAM ou mortalidade por qualquer causa.

Dados de comorbidades foram analisados e usados para calcular o risco tromboembólico através do escore CHA2DS2-VASc (0 a 3).

  • Regime de ACO dos pacientes: 28% AVK x 27% apixaban x 23% dabigatrana x 22% rivaroxabana.

LEIA MAIS: NOACs em portadores de bioprótese valvar cardíaca com ou sem FA

Resultados

O grupo que recebeu Apixabana era o de faixa etária mais avançada e, junto com o da Rivaroxabana, de maior proporção de doentes com CHA2DS2-VASc maior ou igual a 3, ou seja, alto risco para eventos tromboembólicos.

O risco padronizado de IAM no 1º ano foi maior para AVK quando comparado aos NOACs: AVK 1.56% (95% IC:1.33% a 1.80%) x Apixabana 1.16% (95% IC: 0.94% a 1.39%) x Dabigatrana 1.20% (95% IC: 0.95% a 1.47%) x Rivaroxabana 1.07% (95% IC: 0.83% a 1.32%).

A maior diferença foi entre AVK e Rivaroxabana. A Menor, AVK e Dabigatrana. Não houve diferença significativa entre os NOACs.

Os resultados foram consistentes mesmo entre os pacientes coronariopatas quando do diagnóstico da FA.

Comentários

Os pontos fortes deste estudo envolvem a quantidade de pacientes (acima de 30000) e de um país com saúde pública e com um registro com informações confiáveis. Além disso, contou com pacientes com faixa etária mais avançada. Mas trata-se de uma coorte histórica, o que não permite inferir causalidade. E envolver a população de um único país também é um fator limitante. De toda forma, os resultados desta coorte histórica sugerem um menor risco de IAM em pacientes com FA não-valvar nos primeiros 12 meses após o início de NOACs quando comparados com AVK. Não parece haver diferença importante entre os NOACs.

LEIA MAIS: Novos anticoagulantes orais – comparativo das drogas disponíveis no Brasil

Referências:

  • Christina Ji-Young Lee, MD et al; Risk of Myocardial Infarction in Anticoagulated Patients With Atrial Fibrillation. JACC Volume 72, Issue 1, July 2018. DOI: 10.1016/j.jacc.2018.04.036
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades