Página Principal > Nutrologia > Sucos de uva integrais não possuem as mesmas propriedades funcionais
duas taças de vinho no bar

Sucos de uva integrais não possuem as mesmas propriedades funcionais

Tempo de leitura: 2 minutos.

Pesquisadores da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Goiás (UFG) realizaram um estudo que recolheu e analisou amostras de sucos de uva integrais de cinco estados brasileiro: Goiás, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo.

O objetivo do estudo era investigar os fatores que podem influenciar no poder antioxidante e nos benefícios relacionados à saúde de diferentes sucos de uva integrais produzidos no país.

Apesar da existência de vários estudos com vinho tinto de diferentes partes do mundo, incluindo o Brasil, existe um número menor de informações sobre as propriedades biológicas do suco de uva vermelha.

A pesquisa sobre as propriedades funcionais das uvas foi impulsionada pelos benefícios derivados do consumo de vinho, encorajados pelo “paradoxo francês”, uma expressão que é conhecida mundialmente. Além disso, há um número crescente de estudos que demonstram que o suco de uva possui propriedades funcionais benéficas semelhantes ao vinho, principalmente no sistema cardiovascular.

No Brasil, o consumo e a produção de suco de uva inteiro aumentaram em torno de 15% ao ano.

Metodologia

Amostras de seis sucos de uva inteira produzidos em algumas regiões do Brasil, marcadas com a sigla do estado de origem, foram compradas. Os critérios de elegibilidade foram: suco integral de uva vermelha; sem conservantes, estabilizantes ou antioxidantes adicionados; sem adição de água; sem adição de açúcar; e amostras cujos ingredientes eram apenas “100% suco de uva”.

As amostras de suco foram selecionadas aleatoriamente dos principais estados produtores. Os pesquisadores não tiveram acesso a nenhuma amostra produzida nas regiões Norte e Nordeste.

Para os experimentos espectrofotométricos e eletroanalíticos, cada amostra foi diluída na concentração de 10% em solução etanólica. Todos os testes foram realizados em triplicado.

Resultados e conclusões

Os resultados, publicados no International Journal of Cardiovascular Sciences, IJCS (vol. 32, no. 3), da Sociedade Brasileira de Cardiologia, evidenciaram que as diversas amostras de suco produziram resultados cardiovasculares distintos, possuindo diferentes níveis de eficácia na indução do relaxamento vascular.

Como o esperado pelos cientistas, a amostra de maior capacidade antioxidante também apresentou a maior concentração de polifenóis. Da mesma forma, a que obteve menor atividade antioxidante também possuía menor concentração dessa substância.

A amostra de Rio de Janeiro foi a única que induziu ao relaxamento vascular em nível semelhante ao do vinho tinto testado. Além disso, o efeito vasodilatador também apresentou intensidade variável de uma amostra para outra.

A principal constatação deste estudo é que os sucos de uva integrais comercializados no país não possuem as mesmas propriedades funcionais. Suas capacidades antioxidantes, concentração de compostos fenólicos e atividade vasodilatadora são diferentes entre amostras testadas de diferentes regiões.

“Essas descobertas ajudam a entender que as qualidades funcionais do suco de uva podem variar muito em diferentes regiões do Brasil. Embora todas as amostras atendam aos critérios de elegibilidade, nem todas possuem efeitos funcionais como uma atividade antioxidante e vasodilatadora apreciável, algumas das quais provavelmente são incapazes de fornecer proteção contra doenças cardiovasculares”, concluiu Matheus Lavorenti, coordenador do Laboratório de Farmacologia Cardiovascular da Faculdade de Farmácia da UFG.

Entretanto, é importante destacar que a quantidade e a qualidade dos ingredientes funcionais das uvas podem ser amplamente influenciadas pelo clima, solo e região geográfica das lavouras. Como o Brasil é um país enorme, os sucos produzidos em diferentes regiões podem conter diferentes potenciais antioxidantes e composições químicas, o que certamente modifica as suas propriedades funcionais.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autora: 

Referências:

  • https://pressreleases.scielo.org/blog/2019/08/05/sucos-de-uva-integrais-comercializados-no-brasil-nao-possuem-as-mesmas-propriedades-funcionais
  • http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2359-56472019000300238&lng=pt&nrm=iso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.