Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Pediatria / Dispositivos de luz NIR podem diminuir falha de punção intravenosa periférica em pacientes pediátricos?
injecao

Dispositivos de luz NIR podem diminuir falha de punção intravenosa periférica em pacientes pediátricos?

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

A punção intravenosa periférica (PIVC, do inglês peripheral intravenous cannulation) é frequentemente realizada para vários fins, tais como injeção de medicamentos, infusão de fluidos e transfusão. O sucesso da sua realização depende de vários fatores, como o estado físico do paciente, local do procedimento e competência do responsável.

Tradicionalmente, os clínicos utilizam seus sentidos visuais e táteis quando inserem um cateter intravenoso periférico. No entanto, os efeitos deste método são frequentemente limitados, especialmente em pacientes pediátricos cujos vasos periféricos finos estão localizados mais profundamente.

PIVC é difícil em pacientes pediátricos devido às características anatômicas, fisiológicas e cognitivas inerentes à faixa etária, que podem influenciar no sucesso do procedimento. Estudos desenvolvidos com crianças têm demonstrado taxas de sucesso na primeira tentativa que variam de 60% a 81%, enquanto em adultos essas taxas variam de 76% a 90%. Especialmente porque PIVC é um procedimento invasivo e doloroso, é desejável obter sucesso na primeira tentativa.

Dispositivos de luz (NIR, do inglês near-infrared) têm sido utilizados para ajudar o acesso vascular especialmente em pacientes pediátricos. Entretanto, suas utilidades relatadas previamente são conflitantes.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Uma revisão sistemática e metanálise foi desenvolvida com o objetivo de investigar a utilidade de dispositivos de luz NIR para a PIVC em pacientes pediátricos.

As buscas bibliográficas foram realizadas em três bases de dados: MEDLINE, EMBASE e Cochrane Central. Foram incluídos ensaios clínicos randomizados que compararam PIVC utilizando dispositivos de luz NIR e o método “tradicional” (sem dispositivo auxiliar). O desfecho primário avaliado foi a taxa de falha na primeira tentativa. A análise de subgrupos foi realizada de acordo com o risco de falha do grupo controle na primeira tentativa como indicador de dificuldade do procedimento (baixo versus alto).

Foram incluídos 11 estudos na revisão sistemática e todos foram incluídos na metanálise. Não houve diferença significativa no desfecho primário entre os dois métodos (razão de risco [RR]: 1,03; intervalo de confiança 95% [IC 95%]: 0,89-1,20, I² = 48%). Em análise de subgrupos, a diferença entre os subgrupos de risco baixo e alto foi significativa (p=0,02; I² = 83%).

No subgrupo de risco alto, o uso de dispositivos de luz NIR apresentou menor risco de falha quando comparado ao método tradicional (RR: 0,81; IC 95%: 0,64-1,01; I² = 0%).

Os resultados da revisão mostraram que o uso de dispositivos de luz NIR não apresentou impacto na taxa de falha global na primeira tentativa de PIVC em pacientes pediátricos.

Autor:

Referências:

  • Park JM, Kim MJ, Yim HW, Lee WC, Jeong H, Kim NJ. Utility of near-infrared light devices for pediatric peripheral intravenous cannulation: a systematic review and meta-analysis. Eur J Pediatr [Internet]. European Journal of Pediatrics; 2016;1–14. Available from: https://dx.doi.org/10.1007/s00431-016-2796-5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.