Leia mais:
Leia mais:
59% dos médicos relatam maior demanda de trabalho durante a pandemia
Os médicos pretendem usar telemedicina pós-pandemia?
Covid-19: Pesquisas visam avaliar a exposição dos profissionais de saúde ao vírus; veja como participar
Pesquisadores da USP desenvolvem ventilador pulmonar 15 vezes mais barato
Covid-19: Quase metade dos casos no primeiro mês da doença no país foi entre indivíduos de 20 a 39 anos, aponta pesquisa

USP inaugura laboratório em parceria com o governo francês

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

A Universidade de São Paulo (USP) inaugurou recentemente um conjunto de laboratórios de alta tecnologia para pesquisar doenças emergentes. A ideia é prevenir epidemias de zika, dengue, febre amarela, gripe e outras enfermidades.

Localizada no Centro de Pesquisa e Inovação Inova USP, a Plataforma Científica Pasteur-USP é composta por 17 laboratórios. Eles são voltados para estudo de agentes patogênicos emergentes, cujas infecções podem provocar danos no sistema nervoso central. Alguns exemplos são os vírus da zika, dengue, febre amarela e influenza, além de protozoários como os tripanossomas, causadores da doença do sono.

Estrutura da plataforma

No espaço, irão funcionar os primeiros laboratórios de pesquisa de nível de biossegurança 3 equiparáveis aos parâmetros internacionais. A previsão é que a plataforma abrigue de 80 a 100 pesquisadores.

As salas de acesso controlado têm cerca de 200 m² cada e são equipadas com três câmaras pressurizadas para garantir a contenção dos patógenos analisados. Para atuar nas instalações de alto risco, os pesquisadores passarão por um treinamento de procedimentos de segurança.

O investimento anunciado é de R$ 40 milhões, sendo R$ 15 milhões em equipamentos. Parcialmente financiado pelo governo francês, o projeto é o resultado de uma parceria firmada em 2015 entre a USP, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Pasteur.

Saiba mais: Aedes aegypti pode transmitir dengue, zika e chikungunya na mesma picada

Segundo os pesquisadores responsáveis, as instalações da plataforma serão únicas no Brasil e podem ajudar no desenvolvimento de pesquisas internacionais.

“As linhas de pesquisa do Pasteur são muito semelhantes às do ICB e os dois institutos já desenvolvem projetos colaborativos”, explica Paola Minoprio, diretora de pesquisa do Instituto Pasteur, que voltou ao Brasil para coordenar o projeto ao lado de Luís Carlos Ferreira, diretor do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP.

As instituições têm em comum pesquisas em andamento nas áreas de Imunologia, Biologia Celular, Microbiologia e Parasitologia.

“Nos últimos 80 anos, não houve uma iniciativa como essa na USP. Estamos trabalhando a internacionalização da pesquisa, do ensino e da inovação”, comemora Luís Ferreira.

Oito pesquisadores de nível sênior já foram selecionados pelas entidades que administram a plataforma. A partir de 2020, serão selecionados anualmente grupos de jovens pesquisadores brasileiros e estrangeiros para integrar a equipe junto com os cientistas residentes.

“Esta cooperação tripartite é crucial para o avanço do conhecimento e a promoção da equidade – um desafio histórico em nosso país -, e para pesquisa nos campos biomédico e de saúde pública. Trata-se de promover ações conjuntas em ciência, tecnologia, inovação e capacitação de recursos humanos”, destacou Nísia Trindade Lima, presidente da Fiocruz.

Uma outra possibilidade é a criação de um centro do Instituto Pasteur no Brasil, no Parque Eusébio de Tecnologia, nas instalações da Fiocruz/Ceará. “Há muitas possibilidades. Tenho certeza de que avançaremos nas contribuições para a ciência e educação, áreas tão importantes para os nossos países e para a saúde global na sociedade contemporânea”, afirmou Nísia Lima.

O Instituto Pasteur possui atualmente 33 centros de pesquisa em 26 países, integrantes da Rede Internacional do Instituto Pasteur.

Autora: 

Referências: 

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.