Página Principal > Infectologia > Vacina meningocócica pode proteger contra a gonorreia
close de um braço sendo vacinado

Vacina meningocócica pode proteger contra a gonorreia

A gonorreia, um problema de saúde pública global, é uma doença sexualmente transmissível (DST) causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae. Está associada a uma morbidade significativa, incluindo doença inflamatória pélvica, infertilidade e dor crônica. Sua transmissão ocorre quase que exclusivamente por contato sexual ou perinatal.

A infecção natural da gonorreia não induz uma imunidade protetora. Até o momento, os esforços para desenvolver uma vacina eficaz contra a gonorreia não tiveram sucesso. Entretanto, dados de vigilância sugerem que a vacina contra a meningite B pode afetar a incidência de gonorreia.

Neste contexto, um estudo caso-controle publicado no The Lancet foi conduzido na Nova Zelândia para avaliar a eficácia da vacina MeNZB contra a gonorreia.

A população de estudo consistiu de todas as pessoas com idade entre 15 e 30 anos (nascidas entre 1 de janeiro de 1984 e 31 de dezembro de 1998) atendidas em clínicas de saúde sexual participantes que foram diagnosticadas com gonorreia, clamídia ou ambas. Além disso, os participantes deveriam ser elegíveis para receber a vacina MeNZB durante um programa de imunização em massa realizado na Nova Zelândia de julho de 2004 a junho de 2006. A única contraindicação para receber a vacina foi histórico de anafilaxia para uma dose anterior ou componente da vacina.

No total foram analisados 14.730 casos e controles.

Os resultados do estudo mostraram que a aplicação da vacina contra meningite B reduziu o risco de contrair gonorreia entre as pessoas que foram imunizadas. A eficácia estimada da vacina MeNZB contra a gonorreia após o ajuste por etnia, condição social, área geográfica e sexo foi de 31% (intervalo de confiança [IC] de 95% 21-39). A eficácia da vacina foi de 36% (IC 95%: 22 a 48) nas mulheres e 25% (IC 95%: 11-36) nos homens, mas a diferença entre os sexos não foi significativa.

A eficácia da vacina permaneceu significativa, independentemente das pessoas coinfectadas serem incluídas como controles (29%; IC 95%: 19 a 37) ou casos (23%; IC 95%: 15 a 30).

Com base nestes resultados, foi possível concluir que a exposição à vacina MeNZB foi associada a taxas reduzidas de diagnóstico de gonorreia. Segundo os autores, esta é a primeira vez que uma vacina mostrou proteção contra a gonorreia. Esses resultados podem, portanto, fornecer um novo caminho para o desenvolvimento de uma vacina específica contra a doença.

Quer receber diariamente notícias médicas no seu WhatsApp? Cadastre-se aqui!

Autora:

Revisado por:

Referências:

  • Petousis-Harris H, Paynter J, Morgan J, Saxton P, Mcardle B, Goodyear-Smith F, et al. Effectiveness of a group B outer membrane vesicle meningococcal vaccine against gonorrhoea in New Zealand: a retrospective case-control study. Lancet. 2017 Jul 7. pii: S0140-6736(17)31449-6. doi: 10.1016/S0140-6736(17)31449-6.


Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.