Leia mais:
Leia mais:
Semana de Combate ao Alcoolismo e Álcool: Cocaína e coração
Topiramato auxilia no tratamento da dependência química por cocaína?
Betabloqueadores são seguros na intoxicação por cocaína?
Você conhece os efeitos do uso da cocaína no coração?
Você conhece os efeitos cardiovasculares da cocaína?

Você conhece os efeitos cardiovasculares da cocaína?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

O JACC (Journal of the American College of Cardiology) publicou recentemente um artigo sobre os efeitos cardiovasculares da cocaína. O texto é bem didático e interessante e decidimos trazer para vocês alguns dos keypoints sobre o uso (e abuso) dessa droga no sistema cardiovascular.

  • A cocaína pode ser absorvida pelas mucosas, incluindo oral, nasal, retal e vaginal. Contudo, as vias de absorção mais rápida são as mais perigosas: endovenosa e inalatória (crack).
  • A figura abaixo resume a fisiopatologia da doença. De modo didático, a combinação de ativação adrenérgica + lesão endotelial é a grande responsável pelos riscos imediatos e de longo prazo.

fisiopatologia da cocaina

  • O sistema cardiovascular é a principal causa de morte em dependentes químicos com overdose da droga.
  • A cocaína também apresenta riscos a longo prazo. Há controvérsias se o uso crônico aumenta o risco de hipertensão, porém é certo o aumento no risco de cardiomiopatia.
  • O crack é a forma de uso com maior risco de dissecção aguda da aorta, representando até 30% dos casos em jovens (< 50 anos).
  • Dor precordial é o sintoma mais comum de procura dos serviços de urgência e deve ser abordada no mesmo protocolo de dor torácica que os demais pacientes. Contudo, o risco de IAM é baixo, pois muitas vezes há apenas vasoconstricção transitória. A abordagem terapêutica e diagnóstica é a mesma, com as seguintes ressalvas:

1) O maior risco de eventos são as primeiras 12h. Então se o paciente melhora, o ECG está normal e a troponina negativa, considere a alta no final desse período.
2) Os marcadores de risco são: dor recorrente, infraST, troponina positiva, arritmias ventriculares malignas e instabilidade hemodinâmica. Neste cenário, interne o paciente em unidade intensiva.
3) No paciente com supraST, prefira a angioplastia primária. Muitos autores recomendam o uso de stents convencionais pela má adesão do paciente ao tratamento médico regular.
4) Benzodiazepínicos são úteis no paciente agitado, para reduzir o tônus adrenérgico.
5) O grande debate gira em torno dos betabloqueadores (BB). Trabalhos da década de 80/90 sugeriam um risco e muitos de vocês tiveram aula no qual os BB eram “contra-indicados” na intoxicação por cocaína – incluindo diretriz da AHA de 2008! Contudo, estudos recentes (e a diretriz AHA de 2012) sugerem que os BB não-seletivos são seguros e úteis para reduzir a descarga adrenérgica e os autores do artigo do JACC defendem seu uso. Já a diretriz da AHA diz que os BB podem ser utilizados em concomitância com uma droga vasodilatadora, como nitroglicerina ou nitroprussiato. No UpToDate, os autores Lewis Nelson e Oladapo Odujebe são contra o uso de BB na intoxicação aguda, reservando seu início “quando a cocaína não estiver mais na circulação”.

  • O risco de arritmias é maior em temperaturas > 24ºC, com maior risco de morte! As arritmias devem ser tratadas conforme protocolos da AHA/ACC, porém há boa resposta ao uso de BB, lidocaína (TV/FV) e bicarbonato de sódio.

Você é médico e gostaria de fazer parte do time de colunistas da PEBMED? Clique aqui e inscreva-se!

Referências:

  • The Cardiovascular Effects of Cocaine. Ofer Havakuk, Shereif H. Rezkalla, Robert A. Kloner. Journal of the American College of Cardiology Jul 2017, 70 (1) 101-113; DOI: 10.1016/j.jacc.2017.05.014
Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.