Página Principal > Whitebook > Você sabe identificar a síndrome de brugada?
estetoscópio em cima de um eletrocardiograma

Você sabe identificar a síndrome de brugada?

Nesta semana, falamos sobre o manejo do paciente na síndrome de brugada. Por isso, em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision, trazemos a definição e critérios diagnósticos desta síndrome.

Encontre este e outros conteúdos de ECG no Whitebook Clinical Decision! Clique e baixe aqui!

Este conteúdo deve ser utilizado com cautela, e serve como base de consulta. Este conteúdo é destinado a profissionais de saúde. Pessoas que não estejam neste grupo não devem utilizar este conteúdo.

Definição: Síndroma de Brugada é causa mais comum de morte súbita (12% dos casos) em indivíduos sem alterações cardíacas estruturais. É uma arritmia hereditária provocada por uma mutação no gene SCN5A, que leva a uma alteração estrutural dos canais de sódio cardíacos. Mais comum em adultos jovens do sexo masculino, e de origem asiática. Pode provocar morte súbita (através de taquicardia ventricular polimórfica), principalmente em indivíduos em repouso ou durante o sono.

Critérios Diagnósticos:

  • rSR’ (padrão de BRD completo ou incompleto);
  • Elevação de segmento ST de pelo menos 2 mm em duas derivações de V1-V3 (descendente rápida de R’ em precordiais direitas): Alteração esta que se intensifica com manobra vagal, exercício, febre, bradicardia e drogas; e diminui com exercício, estimulação adrenérgica e taquicardia;
  • Supra de ST côncavo: Começa no topo do R’, inclina-se inferiormente e termina em uma onda T invertida.

Subtipos de Síndrome de Brugada:

  • Tipo I: Elevação do segmento ST côncavo ≥ 2 mm seguido por uma onda T negativa;
  • Tipo II: Concavidade alta com elevação do ST ≥ 2 mm seguido de onda T positiva ou bifásica;
  • Tipo III: Segmento ST com elevação < 1 mm.

Este conteúdo foi desenvolvido por médicos, com objetivo de orientar médicos, estudantes de medicina e profissionais de saúde em seu dia-a-dia profissional. Ele não deve ser utilizado por pessoas que não estejam nestes grupos citados, bem como suas condutas servem como orientações para tomadas de decisão por escolha médica. Para saber mais, recomendamos a leitura dos termos de uso dos nossos produtos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.