Pediatria

A asma é um fator de risco ou protetor para Covid-19 em pediatria?

Tempo de leitura: 3 min.

Em outubro de 2020, Abrams e colaboradores publicaram um artigo revendo de forma não sistemática a relação de asma e Covid-19 em pediatria na revista Pediatric Pneumology sobre os seguintes tópicos:

  • Questionamento se a asma é um fator de risco ou protetor para a Covid-19;
  • Dificuldade de diagnóstico de asma diante de suspeita de Covid-19;
  • Impacto social da pandemia para pacientes asmáticos;
  • Tratamento de pacientes asmáticos na pandemia;
  • Medidas de prevenção de COVID-19.
Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

A asma e Covid-19

Desde o início da pandemia de Covid-19, a asma foi colocada como fator de risco para desenvolver a doença e ter formas mais graves, entretanto essa classificação é “mais baseada em senso comum que em evidências”, pois não há dados que suportem ou refutem isso no momento conforme revisão sistemática realizada por Castro-Rodriguez e Forno em junho de 2020. Inclusive, a asma poderia exercer um mecanismo protetor contra a infecção por SARS-CoV2, uma vez que os pulmões de atópicos expressam menos receptores da enzima conversora de angiotensina 2.

O número de internações e visitas à emergência por asma em pediatria reduziu, respectivamente, na Eslovênia e no nordeste dos Estados Unidos durante a pandemia de Covid-19. Não se sabe a razão disso ter acontecido, algumas hipóteses são diminuição de: poluição do ar com o lockdown, atividade física e da exposição a aeroalérgenos e vírus fora do domicílio.

Dificuldade de diagnóstico de asma diante de suspeita de Covid-19

Existem limitantes para diagnosticar asma pediátrica diante de Covid-19 devido a: (1) similaridade do quadro clínico respiratório de Covid-19 e crise asmática; (2) contraindicação de fazer espirometria diante de suspeita de Covid-19, visto que é um procedimento que pode gerar aerossol.

Leia também: Medidas de contenção da Covid-19 e nascimentos prematuros

Impacto social da pandemia para pacientes asmáticos

A pandemia de Covid-19 gerou impactos sociais importantes como fechamento de escolas e insegurança alimentar, sendo que nutrição inadequada compromete a imunidade, podendo dificultar o controle da asma.

Tratamento de pacientes asmáticos na pandemia

O uso de medicações de controle para asma deve ser mantido durante a pandemia, exceto nos casos em que o paciente tenha quadro asmático controlado com benefício do ponto de vista individual para desmame, pesando os riscos e benefícios. Deve-se priorizar o uso de medicações por inaladores ao invés de nebulizadores, pelo risco de geração de aerossol por nebulização. O uso de imunoterapia aeroalérgena e/ou fármacos biológicos pode ser mantido, priorizando a aplicação domiciliar.

É importante ter planos de ação para crise asmática, garantir acesso à medicação, ao serviço de Emergência, ao seguimento clínico e à vacinação contra Influenza. Também deve-se tratar comorbidades como rinite. Pacientes asmáticos com quadro bem controlado no último semestre (sem necessidade de avaliação em Emergência, com necessidade de uso de corticoterapia em até uma crise E sem internação hospitalar nos últimos seis meses ou até duas no último ano) são candidatos à teleatendimento, os demais devem ser avaliados presencialmente.

Medidas de prevenção de Covid-19

O uso de máscaras de pano, o isolamento social e a higiene das mãos são importantes na prevenção de Covid-19.

Conclusão

Ainda estamos conhecendo o comportamento do SARS-CoV-2 e o senso comum de que a asma seria um fator de risco para a Covid-19 ainda não foi confirmado nem rejeitado pelos estudos. Questiona-se até se a asma poderia ser um fator protetor.

São necessários mais estudos e tempo para estabelecermos se existe relação entre asma e Covid-19 em pediatria. É bem estabelecido que o adequado tratamento de forma individualizada e seguimento clínico dos pacientes asmáticos com orientação das medidas de prevenção contra a infecção devem ser priorizados.

Autora:

Referências bibliográficas:

  • Abrams, EM, Sinha, I, Fernandes, RM, Hawcutt, DB. Pediatric asthma and COVID‐19: The known, the unknown, and the controversial. Pediatric Pulmonology. 2020; 55: 3573‐ 3578. https://doi.org/10.1002/ppul.25117
  • Castro-Rodriguez JA, Forno E. Asthma and COVID-19 in children: A systematic review and call for data. 2020: Pediatric Pulmonology.
Compartilhar
Publicado por
Renata Carneiro da Cruz

Posts recentes

Dia nacional de conscientização sobre retinoblastoma: o que eu preciso saber sobre esse tumor?

Dia 18 de setembro é o Dia Nacional de Conscientização e Incentivo ao Diagnóstico Precoce…

34 minutos atrás

Whitebook: Dia Mundial da Sepse

Em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision vamos fazer a apresentação…

5 horas atrás

Origens e fundamentos da MBE – Parte 1: Relação entre o tratamento precoce com antibióticos para sepse e ida à feira

Nesse artigo, vamos analisar mais detalhadamente o primeiro princípio fundamental da medicina baseada em evidências…

7 horas atrás

Infecção puerperal e sepse materna: um evento prevenível?

A sepse puerperal é cinco causas mais frequentes de morte materna no mundo, sendo responsável…

21 horas atrás

Podcast Integrado: O papel do SUS para o profissional de saúde [podcast]

Confira o podcast dos canais da PEBMED sobre o papel do SUS para o profissional…

22 horas atrás

O que pode te ajudar no tratamento do paciente séptico?

Como manejar o paciente séptico do ponto de vista hemodinâmico ao longo das próximas horas…

23 horas atrás