A importante discussão sobre a saúde mental no público LGBTQ+

Segundo estudo publicado no The Lancet Child & Adolescent Health, jovens LGBTQ+s tem mais risco de se autoflagelar e de ter depressão. Como evitar isso?

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Segundo um estudo publicado no The Lancet Child & Adolescent Health, jovens de minorias sexuais possuem quatro vezes mais chances de praticarem atos de autoflagelação entre os 16 e 21 anos que os seus colegas heterossexuais. Além disso, também têm mais risco de sofrerem com sintomas de depressão a partir dos dez anos de idade. Os pesquisadores acompanharam quase 5 mil pessoas entre os dez e 21 anos no Reino Unido.

Risco de Depressão e Autoflagelação

O estudo incluiu 4.828 adolescentes nascidos entre 1991 e 1992, da coorte de nascimentos da Avon Longitudinal Study of Parents and Children, que relataram sua orientação sexual aos 16 anos. Sintomas depressivos foram avaliados com o Short Mood and Feelings Questionnaire (sMFQ) em sete momentos entre as idades de dez anos e 21 anos. Um questionário de autoagressão foi completado aos 16 anos e 21 anos. As análises foram modelos multiníveis lineares com curvas de crescimento (sintomas depressivos), modelos logísticos multiníveis (autoagressão no ano anterior aos 16 anos e 21 anos) e regressão multinomial (automutilação ao longo da vida com e sem intenção suicida aos 21 anos de idade).

De acordo com os pesquisadores, as disparidades de saúde mental entre heterossexuais e minorias sexuais estão presentes no início da adolescência e aumentam ao longo dos anos escolares, persistindo até a idade adulta jovem. “A prevenção desses problemas de saúde mental e a intervenção precoce devem ser uma prioridade”, diz o estudo.

Atualmente, a falta de aceitação, a exclusão, a discriminação e a violência em locais de convivência são as principais queixas dos indivíduos pertencentes à comunidade LGBTQ+s.

Dentre esses pacientes, os principais motivos que levam ao desenvolvimento de transtornos psicológicos são a pressão da sociedade e o que a mesma classifica como padrões éticos e morais. Essa resistência de aceitação por parte da sociedade quando se trata dessa minoria se afirma, majoritariamente, por questões fundamentalmente religiosas.

Processo de autoaceitação

“Dentre os motivos citados, o mais importante que os profissionais de saúde devem trabalhar com os seus pacientes é a autoaceitação. Esse processo nem sempre é o mais fácil ou até mesmo o menos traumático. A pessoa vai se percebendo, e, com isso, vai falando a respeito dos sentimentos, tentando não reprimir seus desejos e vontades. Muitos não se aceitam, se culpam e a culpa é o pior dos algozes”, destaca Sabrina Ferrer, psicóloga do FalaFreud, com 14 anos de experiência na área de psicoterapia e Gestão de Pessoas. 

Para a especialista, os médicos que atendem pacientes com essa demanda especial devem observar, valorizar o momento do atendimento para ouvir e acolher, nunca julgando ou menosprezando os problemas trazidos por eles.

“Portanto, é fundamental buscarmos, primeiramente, o conhecimento necessário para entendermos a diferença do outro e ter empatia. Aceitar é um processo, uma situação que não nos é cobrada, mas respeitar é, e recentemente por lei, obrigação de todos. Quando compreendermos que devemos agir com menos preconceitos, formas de bullying e exclusão; e com mais escuta e amor, teremos um mundo muito mais sadio mentalmente e, consequentemente, mais seguro de se viver”, conclui Sabrina Ferrer.

 

Referências:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão