Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / ABCDEF (A-F) bundle em Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica
(A-F) bundle é usado em paciente em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica

ABCDEF (A-F) bundle em Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

A iniciativa de “liberação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI)”, conhecida como “ICU Liberation” da Society of Critical Care Medicine (SCCM), tem o objetivo de libertar os pacientes dos efeitos nocivos da dor, agitação/sedação, delirium, imobilidade e perturbações do sono (pain, agitation/sedation, delirium, immobility, and sleep disruption – PADIS) na UTI. Esta iniciativa visa a melhorar os resultados do paciente após uma internação na UTI e reduzir o risco de consequências em longo prazo dessa internação.

Entre os efeitos prejudiciais possíveis está a síndrome de terapia pós-intensiva (post-intensive care syndrome – PICS), definida como comprometimento novo ou aumentado da saúde física, cognitiva ou mental de um paciente após internação em UTI.

Leia também: Estratégias para otimizar a aplicação do ABCDEF bundle em adultos com Covid-19

Por meio das Diretrizes de Prática Clínica de 2018 para Prevenção e Tratamento da Dor, Agitação/Sedação, Delirium, Imobilidade e Perturbação do Sono em Pacientes Adultos na UTI (2018 Clinical Practice Guidelines for the Prevention and Management of Pain, Agitation/Sedation, Delirium, Immobility, and Sleep Disruption in Adult Patients in the ICU), conhecidas como Diretrizes PADIS e o ABCDEF (A-F) bundle, essa iniciativa busca capacitar a equipe multiprofissional para prestar cuidados que possam melhorar os desfechos dos pacientes após a saída da UTI.

O A-F bundle consiste nas seguintes medidas:

  1. Assess, Prevent and Manage Pain — Avaliar, prevenir e controlar a dor.
  2. Both Spontaneous Awakening Trials and Spontaneous Breathing TrialsTentativas de despertar espontâneo e de respiração espontânea.
  3. Choice of Analgesia and Sedation — Escolha de analgesia e sedação.
  4. Delirium: assess, prevent, and manageDelirium: avaliar, prevenir e manejar.
  5. Early Mobility and Exercise — Mobilidade e exercício precoces.
  6. Family Engagement and Empowerment — Envolvimento e empoderamento da família.

Apesar de bons resultados em pacientes adultos, os resultados do A-F bundle em pediatria são extremamente escassos. Em 2018, Arteaga e colaboradores avaliaram um total de 40 pacientes pediátricos internados em uma Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP) da Mayo Clinic. Os dados foram coletados no início do estudo em 11 pacientes e após a implementação do A-F bundle, em 29 pacientes. Os critérios de inclusão eram: idade igual ou superior a 2 meses, até 18 anos, com tempo de internação na UTIP esperado superior a três dias e necessidade de ventilação mecânica (VM) invasiva ou não invasiva independentemente da interface do paciente, exceto para cânula nasal e suporte de fluxo. Pacientes com deficiência grave, coma ou estado vegetativo e morte encefálica foram excluídos.

Os itens do A-F bundle foram implementados diariamente para cada paciente depois que os dados basais foram obtidos. As escalas Pediatric Overall Performance Category (POPC) e  Functional Status Scale (FSS) foram obtidas para cada paciente antes da admissão na UTIP, no dia da admissão e no dia da alta da unidade. A POPC é uma escala de avaliações qualitativas de desempenho (quanto maior a pontuação, maior é a incapacidade). A FSS é uma ferramenta usada para a avaliação da funcionalidade em crianças (quanto maior a pontuação, mais grave é a disfunção).

Saiba mais: Revisão sistemática e metanálise sobre o uso da dexmedetomidina em UTI Pediátrica

Foram descritas comparações entre os cuidados pré e pós-implementação do bundle (mediana) em dias de VM, tempo de internação na UTIP e tempo de internação hospitalar junto com FSS e POPC. Os dados foram apresentados em mediana para variáveis contínuas com xD ± s representando a média ± 1 DP.

A partir dos dados coletados, as seguintes tendências observadas foram: os dias em VM diminuíram de 5,1 (9,5 ± 8,7) para 3,3 dias (4,8 ± 4,0), o tempo de internação na UTIP diminuiu de 11,0 (13,9 ± 10,6) para 5,5 dias (7,0 ± 5,0), e o tempo e internação hospitalar diminuiu de 23 (24,2 ± 15,4) para 9 dias (12,0 ± 8,5). O FSS mudou de 24 (20,9 ± 9,0) para 13 (17,5 ± 8,3) e o POPC melhorou de 4,5 (3,8 ± 1,5) para 3,5 (3,4 ± -1,4)3.

Os resultados do estudo de Arteaga e colaboradores sugerem que, aplicando uma abordagem de liberação precoce da UTI com o A-F bundle nos cuidados de pacientes pediátricos graves, os dias em VM e o tempo de permanência na UTI e no hospital podem ser impactados positivamente. Estudos com populações maiores estão em andamento.

A implementação ideal do A-F bundle em UTIP requer as mesmas estratégias de avaliações repetidas e de comunicação e colaboração da equipe multidisciplinar necessárias em pacientes adultos, mas usa diferentes ferramentas táticas para atingir esses objetivos:

Avaliação da dor

    • Escala de classificação numérica de 11 pontos (Numeric rating scale – NRS-11);
    • Escala de faces revisada (Faces Pain Scale-Revised – FPS-R);
    • FLACC revisado (Revised Faces, Legs, Activity, Cry, and Consolability – r-FLACC).
  • A r-FLACC é o equivalente mais próximo das escalas CPOT (Critical-Care Pain Observation Tool) e BPS (Behavioral Pain Score), usadas em pacientes adultos;
  • Todas essas escalas em crianças permitem que se deduza a dor do paciente por meio de observações de movimento, expressão facial, atividade e expressões verbais.

Avaliação da sedação

    • Richmond Agitation-Sedation Scale (RASS);
    • State Behavioral Scale (SBS).
  • Como em adultos, a RASS foi validada para crianças a partir de 2 meses. A SBS atribui uma pontuação de -3 a +2 em vez do intervalo RASS de -5 a +4; ambos atribuem valores negativos para aumentar a profundidade de sedação e números positivos para aumentar os graus de agitação.

Aumento da vigília

  • As tentativas de despertar espontâneo têm evidência limitada em crianças, enquanto os protocolos conduzidos pela enfermagem têm sido amplamente praticados.

Prontidão para extubação

    • Testes de prontidão para extubação.
  • Esses testes têm um valor preditivo positivo de 92% para o sucesso da extubação.

Avaliação de delirium

    • Pre-School and Pediatric Confusion Assessment Method for the Intensive Care Unit tool (psCAM-ICU e pCAM-ICU);
    • Cornell Assessment of Pediatric Delirium (CAPD).
  • As ferramentas psCAM-ICU e pCAM-ICU são versões modificadas do Confusion Assessment Method for the Intensive Care Unit tool (CAM-ICU) e usam imagens apropriadas de acordo com a idade para a avaliação visual no rastreio do delirium;
  • O escore CAPD é projetado para detectar delirium com base em observações clínicas ao longo de várias horas. Embora não seja validado em adultos, a pontuação CAPD foi validada para pacientes de até 21 anos de idade, com ou sem atrasos de desenvolvimento cognitivo.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Society of Critical Care Medicine. About ICU Liberation. 2020. Disponível em: https://www.sccm.org/ICULiberation/About. Acesso em: 11/11/2020
  • Devlin J, et al. Strategies to Optimize ICU Liberation (A to F) Bundle Performance in Critically Ill Adults With Coronavirus Disease 2019. Crit Care Explor. 2020;2(6):p.e0139.
  • Arteaga G, et al. 1289: The Pediatric ICU Liberation Project Impact on Patient Outcomes: The Mayo Experience. Critical Care Medicine. 2018;46(1):628, 2018.
  • Pollack M, et al. Relationship between the functional status scale and the pediatric overall performance category and pediatric cerebral performance category scales. JAMA Pediatr 2014;168(7):671-676.
  • Bastos VCS, et al. Versão brasileira da Functional Status Scale pediátrica: tradução e adaptação transcultural. Rev. bras. ter. intensiva. 2018;30(3):301-307.
  • Traube C, et al. Cornell Assessment of Pediatric Delirium: a valid, rapid, observational tool for screening delirium in the PICU. Crit Care Med, v.42, n.3, p.656-663, 2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.