ADA 2022: agonistas de GLP-1 e a redução de risco de AVC

Benefício pode reduzem o risco de AVC em cerca de 17%. Confira o que dizem os estudos com agonistas de GLP-1 no ADA 2022.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

O título em si pode não ser uma novidade saída do forno como por exemplo o SURMOUNT-1, porém foi um tema de destaque na ADA 2022 pela sua relevância e por muitas dúvidas acerca do assunto. Afinal, nos últimos anos, após o advento dos “CVOTs” (ou estudos de segurança cardiovascular para as medicações em diabetes), diversos dados apareceram sobre redução de infarto, AVC, desfecho composto por morte cardiovascular, AVC e infarto não fatal (os famosos MACEs) a respeito de basicamente todas as drogas para tratamento do diabetes, uma vez que passou a ser exigência do FDA para liberação para a comercialização. Por tal motivo, nem sempre fica claro quais efeitos são de classe e quais não são para determinados desfechos.

A dra Liana Billings falou a respeito do benefício que os agonistas de GLP-1 podem trazer na redução de risco de AVC.

Confira toda a cobertura do congresso da American Diabetes Association (ADA 2022) aqui no Portal PEBMED. O evento acontece o dia 07 de junho e está sendo realizado em New Orleans, Estados Unidos. Confira tudo o que está rolando!

ADA 2022

Agonistas de GLP-1 reduzem o risco de AVC em cerca de 17%

O AVC é uma das condições mais temidas, capazes de deixar sequelas permanentes como imobilidade, afasia e mesmo óbito. O estudo STENO-2 demonstrou que o controle de diversos fatores de risco cardiovasculares em conjunto, dentro deles o diabetes, pode resultar numa redução de risco de 69% de ter um AVC.

Para provar seu argumento, a dra Billings começou relembrando que já no estudo Leader, de 2016, que avaliou a segurança cardiovascular da liraglutida, houve uma tendência a redução de AVC não fatal (HR 0,89) como desfecho secundário, mas não significativo. Desde o Leader e do ELIXA (que avaliou a lixisenatida), diversos outros estudos com agonistas de GLP-1 e desfechos cardiovasculares foram lançados e recentemente, algumas metanálises desses ensaios clínicos foram realizadas com o objetivo de se avaliar especificamente se existe um efeito protetor quanto ao risco de AVC não fatal.

A dra Billings traz dados robustos, advindos de três metanálises diferentes, publicadas entre 2020 e 2021 (Bellastela et al, stroke; Giugliano et al, diabetology; Sattar et al, Lancet) que incluíram dados dos estudos Elixa, Leader, Sustain-6, Exscel, Harmony, Rewind, Pioneer-6, e os dois últimos até o Amplitude-O.

O resultado:

Bellastela et al, stroke, 2020: HR 0.84 (0,76 – 0,93; IC 95%; P = 0,01)

Giugliano et al, diabetology, 2021: HR 0.84 (0,79 – 0,94; IC 95%; P < 0,001)

Sattar et al, Lancet, 2021: HR 0.83 (0,76 – 0,92; IC 95%; P < 0,002)

Ou seja, uma redução de cerca de 17% no risco. Vale lembrar que a maioria dos estudos selecionou uma população de alto risco, com a maioria já tendo eventos cardiovasculares prévios e que a incidência de AVC hemorrágico nos estudos foi baixa, menor que 10%. Portanto estamos falando mais sobre AVC isquêmico, porém também é provável que exista um efeito protetor nos hemorrágicos. O mecanismo parece ser atribuível não só à redução da glicada mas também por efeito em redução da aterosclerose no sistema nervoso central e efeitos de neuroproteção a ser esclarecidos.

E os inibidores de SGLT-2?

Apesar de ser uma classe importante e muito útil, estas medicações de forma isolada não parecem reduzir o risco de AVC, também demonstrado em 4 metanálises, a mais recente publicada em 2021, no JAMA cardiology (McGuire et al).

Esta é uma classe complementar, sobretudo por seus efeitos em proteção renal e no tratamento da insuficiência cardíaca.

Conclusão

Os agonistas de GLP-1 não devem ser esquecidos dentre as medicações paral pacientes de alto risco cardiovascular e, dentre diversos benefícios, podem reduzir por si só a chance de um paciente com diabetes ter um AVC.

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão