Categorias: CardiologiaColunistas

AHA 2018: vitamina D reduz risco cardiovascular e câncer?

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

A vitamina D é classicamente prescrita para prevenir e tratar distúrbios ósseos, porém nos últimos anos, ela tem sido vista como uma estratégia potencial para prevenir câncer e doenças cardiovasculares. Em vários países, a avaliação rotineira do status da vitamina D em pacientes na atenção primária e o uso de suplementos de vitamina D3 aumentaram substancialmente. O Congresso AHA 2018, organizado pela American Heart Association, abordou este assunto, que rendeu a publicação de um artigo com novas informações sobre o tema no New England Journal of Medicine.

Foi realizado um estudo nacional, randomizado e controlado por placebo, com suplementação de vitamina D3 (colecalciferol) em uma dose de 2.000 UI por dia e ômega-3 em uma dose de 1 g por dia para a prevenção de câncer e doenças cardiovasculares entre homens de 50 anos ou mais e mulheres de 55 anos ou mais nos Estados Unidos.

Leia mais: Alzheimer: Vitamina D previne o comprometimento cognitivo?

Desfechos primários foram câncer invasivo de qualquer tipo e eventos cardiovasculares maiores (um composto de infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral ou morte por causas cardiovasculares). Os desfechos secundários incluíram cânceres específicos do local, morte por câncer e eventos cardiovasculares adicionais.

No total, o estudo contou com 25.871 participantes, 5106 destes eram negros, que foram submetidos à randomização. Durante um acompanhamento médio de 5,3 anos, o câncer foi diagnosticado em 1617 participantes (793 no grupo da vitamina D e 824 no grupo do placebo; hazard ratio, 0,96; intervalo de confiança [IC] 95%, 0,88 a 1,06; P = 0,47 ). Um evento cardiovascular importante ocorreu em 805 participantes (396 no grupo da vitamina D e 409 no grupo do placebo; hazard ratio, 0,97; IC de 95%, 0,85 a 1,12; P = 0,69). Nenhum excesso de risco de hipercalcemia ou outros eventos adversos foram identificados.

O estudo concluiu que a suplementação com vitamina D3 (em uma dose de 2000 UI por dia), entre adultos inicialmente saudáveis, nos Estados Unidos, não levou a uma incidência significativamente menor de câncer ou eventos cardiovasculares maiores.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

  • Vitamin D Supplements and Prevention of Cancer and Cardiovascular Disease. November 10, 2018 DOI: 10.1056/NEJMoa1809944
Compartilhar
Publicado por
Dayanna de Oliveira Quintanilha

Posts recentes

Doença de Crohn: novo escore para predição de terapia biológica precoce

Recentemente desenvolveu-se um escore clínico capaz de guiar a seleção do tratamento inicial de portadores…

20 minutos atrás

Da dama da lâmpada aos heróis da saúde: desafios da enfermagem no Brasil

A história da enfermagem no Brasil possui marcos importantes que contribuíram para a construção da…

24 minutos atrás

Suporte ventilatório não invasivo na Covid-19: quando intubar?

Estudo verificou que o uso de suporte ventilatório não invasivo como primeiro suporte foi fator…

2 horas atrás

Covid-19: FDA autoriza uso emergencial da vacina Pfizer em adolescentes de 12 a 15 anos

O Food and Drug Administration (FDA) autorizou o uso emergencial da vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 em…

3 horas atrás

Screening de hipertensão arterial em adultos: recomendações da USPSTF

Em abril, houve a publicação de um documento da USPSTF recomendando o screening de hipertensão…

4 horas atrás

Orientações ao Paciente ganha nova estrutura; saiba mais!

Acesse o post e fique por dentro das mudanças na categoria Orientações ao Paciente, que…

20 horas atrás