Apixabana é superior à heparina na prevenção de AVC na cardioversão

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minuto.

Segundo estudo divulgado na European Society of Cardiology (ESC), em pacientes com fibrilação atrial (FA) que vão se submeter ao procedimento de cardioversão, o tratamento com apixabana é superior ao tratamento com heparina/antagonistas da vitamina K (AVK).

Para esse estudo, denominado EMANATE, 1.500 pacientes (média de idade: 64 anos; escore CHA2DS 2-VASc: 2,4) foram randomizados para receber apixabana (na dose de 5 mg duas vezes ao dia) ou heparina/AVK (dose padrão).

Nenhum AVC foi registrado no grupo da apixabana versus seis AVC entre os participantes que receberam heparina/AVK (P=0.0164). Em relação a episódios hemorrágicos, ocorreram três casos de sangramento maior e 11 sangramentos clinicamente significativos entre os indivíduos tratados com apixabana versus seis e 13 no grupo heparina/AVK, respectivamente. Não foram observados embolias sistêmicas em nenhum dos grupos.

A apixabana também apresentou vantagem em relação à dosagem. Em pacientes que receberam apixabana, a cardioversão poderia ser realizada em 2 horas, já o grupo heparina/AVK  demorou mais tempo para atingir um nível adequado de anticoagulação.

Segundo os autores, esse é o primeiro estudo que avalia a apixabana no contexto da cardioversão, e os achados apoiam a escolha do fármaco em pacientes com FA que serão submetidos à cardioversão.

Veja também: ‘Novos anticoagulantes orais: comparando as complicações’

*Esse artigo foi revisado pelo médico Eduardo Moura.

Referências:

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tags

2 comentários

  1. Avatar
    Ubiratan Rosa Passos

    Se a apixabana foi administrada duas vezes ao dia, como a cardioversão pôde ser realizada duas horas após? O procedimento foi realizado duas horas após a primeira dose, e o tratamento com apixabana foi continuado?

    • Avatar
      Ana Carolina Pomodoro

      Olá, Ubiratan! O estudo sugere que a cardioversão poderia ser realizada após duas horas levando em consideração o tempo para atingir a anticoagulação. Lembrar que estamos falando de pacientes com FA que estão programados para sofrer cardioversão…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar