Aumentam os casos de tuberculose resistente: como controlar a ameaça?

A tuberculose (TB) é uma das 10 principais causas de morte no mundo, além de ser a principal incidência de doença infecciosa ao redor do mundo.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

A tuberculose (TB) é uma das 10 principais causas de morte no mundo, além de ser a principal incidência de doença infecciosa ao redor do mundo. O Brasil está entre os 20 países com maior número de casos de tuberculose por ano. Os números preocupam e há um fator que nos faz ficar ainda mais alertas, o aumento na ocorrência de tuberculose multirresistente (MDR-TB). Em 2017, a OMS estima que havia 558 mil novas contaminações da doença com resistência à rifampicina (o mais eficaz remédio de primeira linha), dos quais 82% tinham tuberculose multirresistente.

A bactéria causadora da TB pode desenvolver resistência aos antimicrobianos usados ​​para curar a doença. A tuberculose multirresistente (MDR-TB) é a TB que não responde, pelo menos, à isoniazida e à rifampicina, os dois medicamentos anti-TB mais potentes. A MDR-TB é um importante impulsionador da resistência antimicrobiana em todo o mundo e ameaça os importantes ganhos obtidos com dificuldade na resposta global à TB nos últimos anos.

Leia mais: tuberculose: novo método de análise diminui tempo e custo de testes

O diagnóstico e o tratamento da TB-MDR continuam a ser um grande desafio, com apenas uma em cada quatro pessoas afetadas atualmente sendo detectadas e menos ainda sendo tratadas com sucesso.  As opções de tratamento são limitadas e caras, os medicamentos recomendados nem sempre estão disponíveis, além disso os pacientes experimentam muitos efeitos adversos dos medicamentos. Em alguns casos, pode desenvolver-se uma TB ainda mais grave e resistente. A TB extensivamente resistente aos medicamentos, XDR-TB, é uma forma de TB multirresistente com resistência adicional a mais medicamentos anti-TB que, portanto, responde a um número ainda menor de medicamentos disponíveis.

tuberculose

Como detectar a tuberculose multirresistente?

A resistência a drogas pode ser detectada por meio de testes laboratoriais especiais que testam a sensibilidade da bactéria às drogas ou detectam padrões de resistência. Esses testes podem ser do tipo molecular (como Xpert MTB / RIF) ou baseados em cultura. As técnicas moleculares podem fornecer resultados em poucas horas e foram implementadas com sucesso mesmo em configurações de poucos recursos.

Como controlar a tuberculose resistente?

As duas razões pelas quais a resistência a múltiplas drogas continua a emergir e se espalhar são má administração do tratamento da TB e da transmissão de pessoa-pessoa. O uso inadequado ou incorreto de drogas antimicrobianas, ou o uso de formulações ineficazes de drogas e a interrupção prematura do tratamento podem causar resistência aos medicamentos, que podem ser transmitidos, especialmente em locais como prisões e hospitais.

As novas recomendações da OMS visam acelerar a detecção e melhorar os resultados do tratamento da tuberculose multirresistente por meio de um novo teste rápido de diagnóstico e de um regime de tratamento mais curto e mais barato. Com menos de US$ 1000 por paciente, o novo regime de tratamento pode ser concluído de nove a 12 meses. Não só é menos dispendioso do que os regimes atuais, mas espera-se também que melhore os resultados e diminua potencialmente as mortes devido a uma melhor adesão ao tratamento e menor perda de seguimento.

Por fim, traremos os tópicos destacados pela OMS como soluções para controlar a TB resistente aos medicamentos:

  • curar o paciente com tuberculose na primeira vez
  • fornecer acesso ao diagnóstico. (eu acrescentaria: pensar em TB multirresistente como diagnóstico diferencial)
  • assegurar o controle adequado da infecção em instalações onde os pacientes são tratados
  • assegurar o uso apropriado dos medicamentos de segunda linha recomendados.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Referências:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades