Página Principal > Medicina Interna > Brasil tem a maior taxa de depressão da América Latina
depressão mulheres

Brasil tem a maior taxa de depressão da América Latina

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o pais com a maior taxa de depressão da América Latina, com 5,8% da população nacional afetada pela doença. Em meio a esse fato alarmante, uma nova pesquisa indica que poucos médicos generalistas fazem uma avaliação do paciente.

US Preventive Services Task Force (USPSTF) agora recomenda em suas diretrizes que todos os adultos sejam avaliados para a depressão. No entanto, a porcentagem de médicos que segue essa orientação não ultrapassa 2% nos Estados Unidos.

Para entender melhor essa questão, pesquisadores analisaram dados de uma pesquisa nacional de cuidados médicos, de 2012 e 2013. A amostra consistiu de 33.653 encontros médico-paciente.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

A taxa global de rastreio depressão foi de apenas 4,2%. Afro-americanos e idosos tinham metade da probabilidade de serem avaliados em comparação com os brancos e indivíduos de meia idade, respectivamente. Pacientes com uma condição crônica eram mais prováveis de serem avaliados para depressão, e a probabilidade aumentou com cada condição crônica adicional.

Cerca de 50% das visitas que incluíram a avaliação resultaram em um novo diagnóstico de depressão, o que sugere que o rastreio é provavelmente provocado por uma suspeita da doença. No entanto, os autores alertam que a triagem de pacientes apenas quando há uma sugestão de depressão pode perder uma proporção significativa de indivíduos que não apresentam sintomas ou tem sintomas menos conhecidos.

Veja também: ‘Diretriz e Algoritmo sobre Manejo da Depressão Maior e Distimia’

Referências:

  • https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,brasil-e-o-pais-que-mais-sofre-com-depressao-na-america-latina,70001676638
  • National Rates and Patterns of Depression Screening in Primary Care: Results From 2012 and 2013. Ayse Akincigil and Elizabeth B. Matthews. Psychiatric Services 0 0:0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.