Página Principal > Colunistas > Bronquiolite aguda: nebulização com solução hipertônica reduz internação?
bronquiolite aguda

Bronquiolite aguda: nebulização com solução hipertônica reduz internação?

Tempo de leitura: 2 minutos.

As infecções de via aérea estão entre as campeãs de visitas médicas em crianças. Entre as infecções de via aérea inferior, a bronquiolite é uma das mais frequentes tendo como principal causador o vírus sincicial respiratório. A causa das complicações são, no geral atribuídas, a edemas de via aérea e aumento de secreção mucoide. Como hipótese para combater esses sintomas e reduzir complicações está o uso de nebulização com solução salina hipertônica.

A associação The NNT Group revisou uma série de trabalhos identificando riscos e benefícios do uso de soluções salinas hipertônicas como uma intervenção com o objetivo de reduzir o número de internações por bronquiolite. Entre os desfechos negativos avaliados estiveram taquicardia, hipertensão, retenção urinária, diarreia, náuseas, vômitos e palidez.

Uma revisão sistemática com metanálise encontrada pelo grupo avaliou trials randomizados, duplo-cegos controlados testando o uso de solução salina a 3% (ou superiores), com e sem broncodilatores versus solução salina a 0,9%. O uso de solução salina reduziu o tempo de permanência em hospitalização (diferença de médias: −0,45 dias; 95% intervalo de confiança [IC], −0.82 a −0.08) e também reduziu o risco de internação em 20% (RR = 0,80; 95% IC: 0,67 a 0,96). Outros três trials (os maiores na literatura especializada na área) encontrados pelo grupo reforçaram os mesmos achados.

Leia mais: Como diagnosticar a bronquiolite aguda?

A controvérsia literária ocorre porque estudos europeus posteriores a 2013 não encontraram benefício na utilização dessa forma terapêutica. Contudo, uma análise de subgrupos de uma metanálise da Cochrane identificou grande heterogeneidade entre os trials e demonstrou que a redução de internações era mais significativa em estudos em que testagem sorológica era usada para seleção dos pacientes para o diagnóstico de infecção pelo vírus. Dessa forma, o benefício da terapia está vinculada, em razão de proporcionalidade, à acurácia diagnóstica.

Ficaram de fora dessa análise os estudos com pacientes que apresentaram complicações da bronquiolite ou necessitaram de ventilação mecânica. Além disso os resultados foram unânimes em não demonstrar malefícios ou efeitos adversos significativos da prática de nebulização salina hipertônica.

A conclusão da iniciativa é de que para cada cinco crianças tratadas com solução salina, houve prevenção de uma internação hospitalar (NNT=5). Contudo, devido à relatividade do diagnóstico para eficácia da medida, a organização classifica a prática como amarela (benefícios incertos) devido às controvérsias encontradas e um tamanho de efeito pequeno demonstrado nos estudos mais recentes.

Como sempre, uma abordagem individualizada e compartilhada deve ser a escolha final a beira leito, particularizando a cada caso os riscos e benefícios da escolha terapêutica. Por outro lado, você agora conhece mais uma ferramenta para uma prática guiada pela melhores evidências, e outras dicas para o manejo da bronquiolite você encontra no WhiteBook.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.