Página Principal > Colunistas > Campanha de vacinação contra Influenza 2018: o que você precisa saber?
vacinação influenza

Campanha de vacinação contra Influenza 2018: o que você precisa saber?

Tempo de leitura: 2 minutos.

A campanha de vacinação de influenza deste ano estava prevista para iniciar em 16 de abril de 2018, porém, devido a problemas com os fornecedores da vacina, ocorreu uma adiamento e a campanha vai começar na próxima segunda-feira, dia 23 de abril, e vai se estender  até 1º de junho. O dia de mobilização nacional será no sábado, 12 de maio. Fato é que a data está próxima e precisamos estar preparados para indicar a vacina e orientar nossos pacientes a respeito da importância de aplicá-la.

O vírus da influenza agora também causa infarto?

Em nota técnica, o Ministério da Saúde divulgou informações sobre a campanha 2018 e traremos os principais pontos para vocês:

  1. A vacinação contra influenza mostra-se como uma das medidas mais efetivas para a prevenção da influenza grave e de suas complicações. As vacinas utilizadas nas campanhas nacionais de vacinação contra a influenza do Programa Nacional de Imunização (PNI) são vacinas trivalentes que contêm os antígenos purificados de duas cepas do tipo A e uma B, sem adição de adjuvantes e sua composição é determinada pela OMS para o hemisfério sul, de acordo com as informações da vigilância epidemiológica.
  2. As vacinas inativadas contra influenza são bastante seguras. A dor local é o evento adverso mais comum nos vacinados em comparação com os que receberam placebo, não sendo encontradas evidências de que as vacinas atualmente em uso causem eventos sistêmicos graves, como febre alta ou Síndrome de Guillain-Barré (SGB).
  3. Alguns estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias, de 39% a 75% a mortalidade global e em, aproximadamente, 50% nas doenças relacionadas à influenza.
  4. Em recente meta-análise verificou-se que a vacinação de idosos reduziu as taxas de influenza de 6% para 2,4% e as taxas de síndrome gripal, de 6% para 3,5% em comparação com placebo. Estima-se que 30 idosos deveriam ser vacinados para evitar um episódio de influenza e 42 para prevenir um episódio de síndrome gripal.
  5. Desde 2013 vem sendo ampliada a vacinação de indivíduos com comorbidades. A vacinação nos indivíduos portadores de doença de base é fundamental, mas, apesar do aumento da disponibilização da vacina para estes grupos, muitos indivíduos com doenças crônicas não são vacinados. Nos últimos dois anos, a maioria das mortes confirmadas por influenza foi registrada em pessoas da faixa etária entre 40 e 60 anos de idade; mais da metade eram portadoras de comorbidades não vacinadas e que receberam tardiamente tratamento antiviral.
  6. Grupos prioritários para vacinação:
  • Crianças de seis meses a menores de cinco anos;
  • Gestantes;
  • Puérperas;
  • Trabalhador de Saúde;
  • Professores;
  • Povos indígenas;
  •  Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas;
  • Indivíduos com 60 anos ou mais de idade;
  • População privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.
  • Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independe da idade, (conforme indicação do Ministério da Saúde em conjunto com sociedades científica

Categorias de risco clínico com indicação da vacina influenza sazonal – Brasil 2018.

                                  Fonte: Ministério da Saúde

Autora: 

Referências:

http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/43002-vacinacao-contra-gripe-comeca-na-proxima-segunda-feira-em-todo-o-pais

É médico e também quer ser colunista da PEBMED? Clique aqui e inscreva-se!

2 Comentários

  1. Wanderclayton

    Excelente abordagem! Parabéns! Texto objetivo e rápido, esclareceu minhas dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.