Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Clínica Médica / Características e prognóstico precoce de pacientes com Covid-19 e fraturas
Raio-x de fratura de braço de paciente positivo para Covid-19

Características e prognóstico precoce de pacientes com Covid-19 e fraturas

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

Um artigo recém publicado no JB & JS (The Journal of Bone and Joint Surgery) descreve o prognóstico precoce da infecção por Covid-19 em uma coorte de pacientes portadores de fraturas.

O surto da infecção pelo novo coronavírus se iniciou em dezembro de 2019 concentrado na cidade de Wuhan, província de Hubei. Neste estudo dados de 10 pacientes com fratura e Covid-19 foram coletados em 8 hospitais diferentes localizados na província de Hubei, de 1 de janeiro de 2020 a 27 de fevereiro de 2020. As análises do prognóstico precoce foram baseadas em resultados clínicos e tendências nos resultados laboratoriais durante o tratamento.

Covid-19 e fraturas

Seis dos 10 pacientes tiveram testes positivos com base na reação quantitativa em cadeia da polimerase com transcrição reversa das amostras de swab na garganta. Dos 4 pacientes restantes, 3 tiveram resultado negativo e 1 não recebeu o teste da cadeia de polimerase durante a internação. Todos os pacientes apresentaram clara evidência de pneumonia viral na tomografia computadorizada. O consentimento informado foi obtido de todos os participantes antes da inscrição no estudo.

Características dos pacientes

Os 10 pacientes (8 mulheres e 2 homens) tinham de 34 a 87 anos de idade. Todas as fraturas foram causadas por acidentes. Nove dos 10 pacientes sofreram a fratura em um acidente de baixa velocidade e 1 paciente sofreu fratura associada a traumatismo crânio encefálico devido a acidente automobilístico. Sete dos 10 pacientes apresentaram infecção hospitalar, enquanto 3 contraíram Covid-19 antes da admissão hospitalar

Três pacientes tinham osteoporose associada a hipertensão, diabetes e doença pulmonar obstrutiva crônica. Três pacientes não apresentaram sintomas graves ou evidências óbvias na tomografia computadorizada na admissão e, portanto, foram submetidos a cirurgia sendo observada febre e fadiga no pós-operatório.

Leia também: Sarcopenia e fatores de risco: como minimizar os prejuízos durante a quarentena?

Os sintomas mais comuns apresentados pelos pacientes foram febre, tosse e fadiga no momento da apresentação (7 pacientes cada). Outros sinais menos comuns incluíram dor de garganta (4 pacientes), dispneia (5 pacientes), dor no peito (1 paciente), congestão nasal (1 paciente), dor de cabeça (1 paciente), tontura (3 pacientes), dor abdominal (1 paciente) e vômitos (1 paciente). A linfopenia (< 1,0 × 109 células/L) foi identificada em 6 de 10 pacientes, 9 de 9 pacientes apresentavam nível sérico de dímero D elevado e 9 de 9 pacientes apresentavam nível de proteína C reativa elevada.

Três pacientes foram submetidos à cirurgia, enquanto os outros foram tratados de maneira conservadora devido ao comprometimento clínico que apresentavam. Quatro pacientes morreram, 3 no oitavo dia e 1 no décimo quarto dia após a admissão. Os resultados clínicos para os pacientes sobreviventes ainda não foram determinados.

Conclusão

Com base na investigação atual, quatro estratégias principais para pacientes com fratura e pneumonia por Covid-19 podem ser propostas.

  1. O tratamento conservador deve ser considerado em pacientes idosos com alguns padrões de fraturas em áreas endêmicas.
  2. Medidas de controle estrito da infecção devem ser implementadas para pacientes com fraturas, particularmente naqueles com lesões cirúrgicas.
  3. Pacientes com fratura e pneumonia por Covid-19 devem ter vigilância e tratamento mais intensivos.
  4. O tratamento cirúrgico para pacientes com fratura e Covid-19 pneumonia deve ser realizado em uma sala de operações com pressão negativa.

As características clínicas e o prognóstico precoce do Covid-19 em pacientes com fratura foram piores do que nos casos com Covid-19 sem fratura. Esse achado pode estar relacionado à duração entre o desenvolvimento dos sintomas e a apresentação. O tratamento cirúrgico deve ser realizado com cautela ou o tratamento conservador deve adotado para pacientes com fratura em áreas afetadas por Covid-19 em pacientes selecionados.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • APA Mi, Bobin MD, PhD1; Chen, Lang MD1; Xiong, Yuan MD1,b; Xue, Hang MD1; Zhou, Wu MD, PhD1,a; Liu, Guohui MD, PhD1,c Characteristics and Early Prognosis of Covid-19 Infection in Fracture Patients, The Journal of Bone and Joint Surgery: April 1, 2020 – Volume Latest Articles – Issue –
  • doi: 10.2106/JBJS.20.00390

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.