Página Principal > Infectologia > Conheça diretriz britânica para administração de antibióticos
antibióticos

Conheça diretriz britânica para administração de antibióticos

Tempo de leitura: 2 minutos.

Como discutimos em diversos artigos publicados aqui no Portal PEBMED, a prescrição, venda e uso indiscriminados de antibióticos nos últimos tempos têm contribuído para a multirresistência da maioria das bactérias e provocaram a queda na eficácia dos antimicrobianos, além da elevação da mortalidade e do tempo de internação. Para amenizar o problema, os fármacos são administrados em adjuvância com outros medicamentos, como a terapia com duplo-carbapenêmico no combate à Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC), por exemplo.

Com o intuito de normatizar a administração de antibióticos e evitar o mau uso destes fármacos no tratamento de várias doenças, a entidade britânica National Institute for Health and Care Excellence (NICE) divulgou novas diretrizes para orientar médicos, enfermeiros e profissionais de saúde que lidam diretamente com as infecções bacterianas mais comuns.

Leia maisBactérias multirresistentes podem matar 10 milhões de pessoas até 2050

Entre as doenças citadas no guideline estão Influenza, sinusite, pneumonia adquirida na comunidade, infecção do trato urinário, impetigo, etc. Confira as principais recomendações:

Influenza

É recomendada a vacinação anual contra o vírus Influenza (gripe), principalmente nos pacientes pertencentes ao grupo de risco (crianças, idosos e imunodeprimidos). Fosfato de oseltamivir é o fármaco de primeira linha, com o zanamivir como alternativa. Em indivíduos saudáveis, a administração de antivirais é desaconselhada.

Sinusite

Para o tratamento da sinusite, o guideline recomenda a prescrição de acetaminofeno (paracetamol) e o ibuprofeno para o alívio da dor. No entanto, não use antimicrobianos em pacientes sintomáticos cuja manifestação clínica seja menos de 10 dias. Não dê antibióticos também para pacientes sintomáticos e refratários, dependendo do estágio da sinusite bacteriana.

Para maiores de 12 anos, cogite a administração de corticoesteroides nasais. Em casos de alto risco, comece antibioticoterapia imediatamente, penicilina VK é o padrão-ouro, a não ser que o paciente seja alérgico ao fármaco. Neste caso, opte por claritromicina ou eritromicina.

Em paciente com alto risco de complicações, amoxicilina + clavulanato deve ser o fármaco de primeira/segunda escolha.

Pneumonia Adquirida na Comunidade

O tratamento da PAC vai depender do escore CURB-65, se abaixo de zero a terapia deve incluir amoxicilina, claritromicina ou doxiciclina, Entre 1 e 2, além da amoxicilina deve ser administrada a claritromicina ou doxiciclina.

Prostatite aguda

Dê paracetamol ou ibuprofeno para aliviar a dor. Como fármacos de primeira-linha, medique com ofloxacina, ciprofloxacino ou trimetoprima, para os de segunda linha prefira levofloxacino ou cotrimoxazol.

Candidíase oral

Em pacientes com candidíase oral prescreva miconazol em gel, caso haja alergia dê miconazol ou fluconazol em cápsulas.

Candidíase vaginal

Os agentes antimicrobianos padrão-ouro são clotrimazol, fenticonazol, clotrimazol ou fluconazol.

Clamídia

O fármaco de primeira linha é a doxiciclina e o de segunda linha é a azitromicina, em casos de pacientes alérgicos à doxiciclina, mulheres grávidas ou que estejam amamentando.

Para conhecer todas as enfermidades descriminadas no guideline da NICE, acesse o documento da entidade disponível online.

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.