Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Urologia / Conheça os avanços, desafios e oportunidades da Urologia
urologia

Conheça os avanços, desafios e oportunidades da Urologia

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: 3 minutos.

A urologia é uma das mais importantes especialidades médicas da atualidade, sendo o tratamento da litíase urinária uma de suas principais áreas de atuação, onde diversos recursos tecnológicos e cirúrgicos são utilizados no manejo desta afecção. Mas nem sempre foi assim. A litíase urinária, conhecida na antiguidade como a “doença da pedra”, foi por milênios um desafio terapêutico na medicina, sendo, inclusive, citada no juramento de Hipócrates.

De lá para cá muitas coisas mudaram para melhor. A cirurgia robótica, por exemplo, que ainda não é utilizada em larga escala, tem na urologia uma das suas áreas pioneiras para o seu desenvolvimento. E os avanços não param por aí.

Leia maisTop 5 Neurologia: cefaleia, epilepsia, narcolepsia e mais; ouça o PEBMEDCast

Se estabelecermos o ponto de corte para os últimos cinco anos, podemos citar os procedimentos cirúrgicos vídeo laparoscópicos robóticos, que permitiram técnicas cirúrgicas mais precisas como na cirurgia do câncer de próstata. Houve também o aparecimento de novas tecnologias para ablação cirúrgica do adenoma de próstata, como o laser, o WAVE (Water Vapor Energy Therapy) e o PROCEPT (sistema guiado por robô que provoca desintegração dos tecidos com jatos de água em velocidade ultrassônica).

Há também o surgimento de novas medicações para tratamento de cânceres em estado avançado, e o uso de neuromoduladores para o controle de alguns tipos de incontinência urinária”, destaca Alfredo Canalini, secretário-geral da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU).

Principais desafios e oportunidades

Para Alfredo Canalini, além da residência médica em programa credenciado pela SBU, o médico que pretende se especializar em urologia deve ter disponibilidade para estudar e incorporar as novas tecnologias que vêm surgindo no cenário médico de forma cada vez mais rápida, como vimos acima.

Dentro dessa área, as principais oportunidades de trabalho atualmente são encontradas na Andrologia, Uropediatria, uroginecologia e Endourologia.

No entanto, é necessário que os profissionais permaneçam atualizados em toda a abrangência da especialidade escolhida. “Há muitas oportunidades de desenvolver um trabalho de boa qualidade fora dos grandes centros urbanos, atendendo a demandas reprimidas e sendo bem remunerado”, diz o secretário-geral da SBU.

A média salarial dos urologistas no Brasil depende de vários fatores: prática privada isolada em consultórios ou em grupos dentro de clínicas especializadas. Entretanto, em recente pesquisa econômica baseada em hábitos de consumo, a maioria dos urologistas se encaixa na categoria de classe A, com renda acima de 20 salários mínimos.
De acordo com Alfredo Canalini, a urologia possui um grande potencial de crescimento para os futuros médicos, principalmente pelo aumento da faixa acima de 60 anos. Neste contexto, a prevalência de doenças do trato urinário e das disfunções eréteis aumentará drasticamente nos próximos anos.

Conquistas da SBU

Atualmente, a Sociedade Brasileira de Urologia possui 4.461 especialistas inscritos em sua instituição, com a maioria concentrada nos grandes centros urbanos.

Entre as maiores conquistas da SBU estão:

  • A valorização do título de especialista, certificando e credenciando somente programas de residência médica em urologia que cumpram os requisitos para formar um especialista de ponta;
  • A valorização do trabalho do médico, em fóruns constantes em instituições como a Associação Médica Brasileira (AMB), o IBDM (Instituto Brasil de Medicina), a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e a Frente Parlamentar da Medicina, sempre para que a especialidade seja exercida em condições adequadas e com remuneração compatível com nossa expertise e com nosso compromisso;
  • Nos projetos de responsabilidade social e em campanhas públicas de saúde, como o Novembro Azul, mostrando para a população a importância da atuação do urologista no tratamento das doenças genitourinárias.

Whitebook

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.