Leia mais:
Leia mais:
Conselhos de Enfermagem e autoridades repudiam desmonte da Rede Cegonha
Quiz: Gestante dá à luz a um feto morto. Qual a síndrome do feto?
Estudo da OMS avalia o tratamento dado às mulheres durante o parto
Atlas de Dermatologia recebe 12 conteúdos esta semana
Cardiotocografia: para que serve, quando solicitar e como interpretar?

Conselhos de Enfermagem e autoridades repudiam desmonte da Rede Cegonha

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Em resposta ao desmonte da Rede Cegonha, considerada a mais bem-sucedida política pública de assistência ao pré-natal, parto e puerpério no Brasil, o Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem publicou uma nota pública em repúdio à Portaria MS 715/2022.

Segundo a nota, o Ministério da Saúde (MS) teria ignorado “dispositivos legais, evidências científicas e apelos ao diálogo ao instituir de maneira tendenciosa a Rede Materno e Infantil (RAMI), que dá ênfase à atuação do médico obstetra sem contemplar a assistência às crianças e excluindo as enfermeiras obstétricas”.

A Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras (ABENFO Nacional), também publicou uma nota pública repudiando a decisão unilateral.

Vale ressaltar que a atuação qualificada da enfermagem obstétrica é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como essencial para a redução da mortalidade materno-infantil, contribuindo para evitar, identificar e tratar precocemente complicações, com o devido encaminhamento, quando necessária.

médica da rede cegonha

Rede Cegonha

Criada em 2011, a Rede Cegonha priorizava a humanização do atendimento às gestantes na rede pública, valorizando a atuação de enfermeiras obstétricas e parteiras.

E com a criação do dia para a noite da Rede de Atenção Materna e Infantil (Rami), programa criado pela secretaria de Atenção à Saúde Primária do Ministério da Saúde, essas categorias foram sumariamente excluídas com o claro objetivo de devolver aos médicos obstetras o protagonismo, negligenciando o atendimento às crianças e iniciativas como o parto humanizado e a luta contra a violência obstétrica.

Leia também: Suplementação de sulfato ferroso e ácido fólico para gestantes: o que o enfermeiro deve saber?

Faltou diálogo

“A gestão do SUS é tripartite e o Ministério da Saúde não poderia jamais ter tomado uma decisão dessas em desfavor do país. O Congresso Nacional precisa reverter esse quadro urgentemente. A atuação da enfermagem obstétrica é reconhecida no Brasil e no mundo pela OMS como um instrumento fundamental para a qualidade de vida das crianças e para a redução da mortalidade materno-infantil. As evidências são indiscutíveis e precisamos restabelecer a normalidade”, disse a presidente do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), Betânia Santos.

A especialista também destacou que, além de não consultar gestores, estados e municípios, não foi realizada nenhuma consulta pública à sociedade.

Risco à saúde pública

A enfermeira Isabelle Gaspar, mestre em enfermagem pela Escola de Enfermagem Anna Nery (UFRJ), com residência em Saúde da Mulher (HESFA/UFRJ) e especialista em Gênero e Sexualidade (IMS/UERJ), também demonstrou grande preocupação com o desmonte da Rede Cegonha.

“Essa é uma situação que não foi discutida e traz sérias consequências, como o retorno de uma visão hospitalocêntrica, centrada no profissional médico e excluindo a atuação do enfermeiro obstetra. Não há referências aos centros de partos normais na política e nem aos cuidados de promoção à saúde das mulheres e dos bebês, feito pelos enfermeiros. É preciso levar em consideração que a atuação multidisciplinar só traz ganhos para as usuárias, que podem ter os atendimentos com vista a garantir a integralidade da assistência, além de contribuir para a redução da mortalidade materna, que é um dos objetivos do desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU)”, afirmou a enfermeira Isabelle Gaspar, que também é colunista do Portal de Notícias da PEBMED.

O coordenador da Comissão Nacional de Saúde da Mulher do Conselho Federal de Enfermagem, Herdy Alves, enfatizou que a portaria representa um risco à saúde pública, em especial à vida reprodutiva.

“Essa é uma situação muito séria. A Rede Cegonha vinha garantindo força de interação qualificada e segura no campo da saúde reprodutiva. A gente precisa reduzir a morte materna, mas o Brasil não consegue alcançar esse objetivo. Estamos em uma transição onde as mulheres morrem na pandemia. O Brasil é campeão em mortes em fase reprodutiva. Perdemos mulheres e não há, por exemplo, uma discussão que garanta ampliar o apoio a essas mulheres e uma assistência segura”, avaliou Herdy Alves.

O senador Humberto Costa (PT-PE) protocolou o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) n.º 80/2022, que susta os efeitos da Portaria MS 715/2022.

“(…) O Governo Federal vem sistematicamente promovendo desmontes nas políticas de saúde do nosso país. Não podemos permitir mais esse retrocesso. Especialmente em um momento em que o país inteiro ainda luta para superar a pandemia é fundamental que sejam promovidas melhorias estruturais e reconhecimentos ao esforço e dedicação de todos os profissionais da saúde. E é exatamente no sentido contrário que a Presidência da República e o Ministério da Saúde caminham, ao publicar a portaria 715, atacando diretamente os enfermeiros e enfermeiras do Brasil. Por tudo exposto, contamos com o apoio dos nobres pares para aprovação do presente Projeto de Decreto Legislativo com o objetivo de sustar essa portaria, extremamente nociva para a categoria da enfermagem e para as políticas públicas de saúde do país”, diz o trecho final do documento.

Veja mais: 20 de janeiro – Dia Nacional da Parteira Tradicional

O projeto de decreto está em tramitação na Câmara dos Deputados desde o dia 11 de abril aguardando votação. Caso aprovado, seguirá para o Senado Federal.

Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
#Corporativismo acima de tudo – Médicos acima de todos. Cofen. http://www.cofen.gov.br/corporativismo-acima-de-tudo-medicos-acima-de-todos_97910.html #Conselhos de enfermagem repudiam desmonte da Rede Cegonha. Portaria 715/22 ignora avaliação técnica e dispositivos legais para impor o fim da política pública. Coren. https://www.portalcoren-rs.gov.br/index.php?categoria=publicacoes&pagina=noticia-ler&id=8465 #Conselhos de Enfermagem repudiam desmonte da Rede Cegonha. Coren. https://www.corenpr.gov.br/portal/noticias/1479-conselhos-de-enfermagem-repudiam-desmonte-da-rede-cegonha #A associação brasileira de obstetrizes e enfermeiros obstetras apoia o CONASEMS e CONASS e repudia a publicação da Portaria do Ministério da Saúde nº 715/2022. https://www.portalcoren-rs.gov.br/docs/abenfo-repudio-desmonte-Rede-Cegonha.pdf #
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.