Página Principal > Medicina Interna > Consumo de carne vermelha e risco de diabetes: devemos nos preocupar?
carne vermelha

Consumo de carne vermelha e risco de diabetes: devemos nos preocupar?

Queremos saber a sua opinião! Gostou de ouvir essa notícia em áudio? Clique aqui e responda nossa pesquisa.

A preocupação com uma dieta adequada é indispensável para a nossa saúde. A importância no consumo de carne vermelha é vista como sendo indispensável, por seus componentes de nutrientes e pelo baixo fator energético. Entretanto, o seu consumo descontrolado pode trazer danos graves à saúde.

O consumo de carne vermelha tem sido relacionado com um risco elevado de diabetes mellitus tipo 2 (DM2). No entanto, não sabe-se se o risco de DM2 pode ser influenciado por alterações na dieta de carne vermelha.

Um estudo publicado na JAMA Internal Medicine foi realizado para avaliar a associação entre as alterações no consumo de carne vermelha durante 4 anos e subsequente risco de DM2.

O estudo foi composto por três coortes prospectivas de homens e mulheres dos EUA. O Health Professionals Follow-up Study (HSP) iniciou em 1986, quando 521.529 profissionais de saúde do sexo masculino, com idade entre 40 e 75 anos, responderam um questionário sobre história médica detalhada, bem como estilo de vida e dieta usual. O Nurses’Health Study (NHS) foi composto por 121.700 enfermeiras, com idades entre 30 e 55 anos, que preencheram um questionário sobre o estilo de vida e a história médica em 1976. Por fim, o NHS II, estabelecido em 1989, compreendeu 116.671 enfermeiras mais jovens, com idades entre 25 e 42 anos, que responderam a um questionário semelhante ao da coorte NHS.

Foram avaliados casos de incidência de DM2 validados por questionários suplementares.

As melhoras condutas na Diabetes estão no Whitebook. Clique aqui e baixe grátis o aplicativo #1 dos médicos brasileiros.

No total, foram documentados 7.540 casos incidentes de DM2 durante o seguimento (1.561 no HFS, 3.482 no NHS e 2.497 no NHS II). Em um modelo multivariado ajustado, o aumento do consumo de carne vermelha durante um intervalo de 4 anos foi associado com um risco elevado de DM2 nos 4 anos seguintes em cada coorte (todos p<0,001 para a tendência).

Comparado com o grupo sem alteração no consumo de carne vermelha (grupo referência), o aumento do consumo de carne vermelha de mais de 0,50 porções por dia foi associado a um risco elevado de 48% (hazard ratio [HR] combinado: 1,48; intervalo de confiança [IC] de 95%: 1,37 a 1,59) no período subsequente de 4 anos, e a associação foi moderadamente atenuada após ajuste adicional para índice de massa corporal inicial e ganho de peso simultâneo (HR: 1,30; IC 95%: 1,21 a 1,41).

A redução do consumo de carne vermelha em mais de 0,50 porções por dia, desde o baseline até os primeiros 4 anos de seguimento, foi associado com um risco menor de 14% (HR combinado: 0,86; IC 95%: 0,80 a 0,93) durante todo o acompanhamento posterior até 2006 ou 2007.

Com base nesses resultados, o estudo concluiu que o aumento do consumo de carne vermelha ao longo do tempo está associado com um elevado risco subsequente de DM2. Esses resultados adicionam evidências de que a limitação do consumo de carne vermelha ao longo do tempo pode conferir benefícios para a prevenção do DM2.

Veja também: ‘Carne vermelha ligada a risco de Insuficiência Renal?’

Autora:

Referências:

  • Pan A, Sun Q, Bernstein AM, Manson JE, Willett WC, Hu FB. Changes in Red Meat Consumption and Subsequent Risk of Type 2 Diabetes Mellitus. JAMA Intern Med [Internet]. 2013;173(14):1328. Available from: https://archinte.jamanetwork.com/article.aspx?doi=10.1001/jamainternmed.2013.6633

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.