Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / Coronavírus: quais as recomendações acerca dos animais de estimação?
gato de estimação deitado no sofá com coronavírus

Coronavírus: quais as recomendações acerca dos animais de estimação?

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

O U.S. Centers for Disease Control and Prevention (CDC) e o United States Department of Agriculture’s (USDA) National Veterinary Services Laboratories (NVSL) anunciaram, em 22 de abril de 2020, os primeiros casos confirmados de infecção por SARS-CoV-2, o novo coronavírus que causa a doença respiratória Covid-19, em dois gatos de estimação. De acordo com estes órgãos, estes são os primeiros animais de estimação a testar positivo para SARS-CoV-2 nos Estados Unidos.

Novo coronavírus em gatos

De acordo com a declaração que se encontra no site do CDC, as infecções por SARS-CoV-2 foram relatadas em muito poucos animais em todo o mundo, e ocorreram, principalmente naqueles que tiveram contato próximo com um indivíduo com Covid-19.

Os gatos citados vivem em duas áreas separadas do estado de Nova York e ambos apresentaram doença respiratória leve:

  • Primeiro gato: foi testado após apresentar sinais respiratórios leves. Nenhuma pessoa da casa onde o gato vive foi confirmado como doente com Covid-19. O vírus pode ter sido transmitido a esse gato por membros da família levemente doentes ou assintomáticos ou através de contato com uma pessoa infectada fora de sua casa;
  • Segundo gato: amostras foram coletadas após o animal apresentar sinais de doença respiratória. O dono foi positivo para Covid-19 antes do gato mostrar sintomatologia. O outro gato da casa não mostrou sinais de doença.

Os dois gatos tiveram testes positivos presuntivos para SARS-CoV-2 em um laboratório veterinário privado, que então relatou os resultados para autoridades estaduais e federais.

O teste confirmatório foi realizado no NVSL e incluiu a coleta de amostras adicionais. A NVSL serve como um laboratório de referência internacional e fornece conhecimento e orientação sobre técnicas de diagnóstico, bem como testes confirmatórios para doenças animais estrangeiras e emergentes. Esse teste é necessário para determinadas doenças animais nos Estados Unidos, a fim de cumprir os procedimentos de relatórios nacionais e internacionais. A World Organization for Animal Health (Organização Mundial de Saúde Animal – OIE) considera o SARS-CoV-2 uma doença emergente e, portanto, o USDA deve informar à OIE as infecções animais confirmadas em território americano.

Recomendações

As recomendações do CDC são:

  • Não permitir que animais de estimação interajam com pessoas ou outros animais fora da casa;
  • Manter os gatos dentro de casa sempre que possível, para evitar que eles interajam com outros animais ou pessoas;
  • Passear com os cães na coleira, mantendo pelo menos 6 pés de outras pessoas e animais;
  • Evitar parques de cães ou locais públicos onde um grande número de pessoas e cães se reúna;
  • Indivíduos com Covid-19 (suspeita ou confirmada por um teste), devem restringir o contato com seus animais de estimação e outros animais, como faria com outras pessoas;
  • Quando possível, um pessoa infectada deve pedir que outro membro da sua família cuide dos seus animais de estimação enquanto estiver doente;
  • Evitar o contato com o animal de estimação, incluindo acariciar, aconchegar, beijar ou lamber e compartilhar comida ou roupa de cama;
  • Se a pessoa precisar cuidar do seu animal de estimação ou ficar perto de animais enquanto estiver doente, deve usar um pano para cobrir o rosto e lavar as mãos antes e depois de interagir com eles.

Leia também: Saúde mental durante a Covid-19: campanha visa amenizar os efeitos negativos da pandemia

O CDC informa que, até o momento, os testes de rotina em animais não são recomendados. Entretanto, se outros animais forem confirmados positivos para SARS-CoV-2 nos Estados Unidos, o USDA fará a divulgação. Dessa forma, as autoridades estaduais de saúde animal e de saúde pública liderarão a tomada de decisões sobre se os animais deverão ser testados quanto à SARS-CoV-2.

As autoridades de saúde pública ainda estão aprendendo sobre o SARS-CoV-2, mas não há evidências de que os animais de estimação tenham um papel importante na disseminação do vírus nos Estados Unidos. Portanto, o CDC relata que não há justificativa para tomar medidas contra animais de companhia que possam comprometer seu bem-estar. Mais estudos são necessários para entender se e como diferentes animais, incluindo animais de estimação, podem ser afetados.

Além disso, o CDC destaca que, embora animais adicionais possam ter resultados positivos à medida que as infecções continuam nas pessoas, a realização desses testes em animais não reduz a disponibilidade de testes para seres humanos. Segundo o CDC, o governo dos Estados Unidos continua comprometido em aumentar os testes para Covid-19 em todo o país para os americanos.

Autora:

Referência bibliográfica:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.