Oftalmologia

Covid-19: o SARS-CoV-2 pode ser encontrado na retina dos pacientes acometidos?

Tempo de leitura: 2 min.

O SARS-CoV-2, causador da Covid-19, se espalhou de Wuhan para o resto do mundo a partir dos últimos meses de 2019. O vírus já foi detectado em amostras de lavado broncoalveolar, swab nasal, fezes, sangue, urina e coração. Pouco se sabe, porém, sobre as implicações oculares da infecção.

O envolvimento oftalmológico inicialmente se limitou aos casos de conjuntivite. Em um dos estudos, o vírus foi identificado em 2 de 28 swabs conjuntivais. Em outros estudos não foi comprovada a presença do RNA viral na lágrima. Não foi relatada a existência do vírus no tecido intraocular como a retina.

Um estudo publicado na revista Ocular Immunology and Inflamatory em maio de 2020 fez uma análise prospectiva de biópsias de retina em 14 pacientes com Covid-19 para provar a presença de RNA de SARS-CoV-2 por RT-PCR na retina.

Covid-19 e retina

Entre março e abril de 2020, 14 pacientes que evoluíram para óbito, com infecção comprovada por Covid-19, foram incluídos no estudo. 71.4% eram homens e 28.6% mulheres. A média de idade foi 77 anos +-13.9 anos. Apenas um paciente tinha comorbidade oftalmológica, tendo diagnóstico de degeneração macular relacionada a idade.

Leia também: Covid-19: Conselho Brasileiro de Oftalmologia lança Manual para Retomada das Atividades

Em três dos 14 pacientes foi identificado por RT-PCR o RNA do SARS-CoV-2 na retina através de três genes, três regiões da sequência viral (E-gene, RdRP gene e Orf nCoV gene). O SARS-CoV-2 utiliza o receptor ACE2 para entrar na célula do receptor. Esse receptor é encontrado em humanos no humor aquoso e na retina.

Em gatos e ratos várias implicações oculares existiram durante as várias infecções por coronavírus. Isso inclui conjuntivite, retinite, uveíte e neurite óptica. Desta forma, a expressão de receptor ACE2 é provavelmente a forma que o SARS-CoV-2 infecta a retina.

Veja mais: Existem evidências reais de alterações retinianas relacionadas ao Covid-19?

Conclusões

Esse estudo não foi capaz de avaliar se há replicação viral na retina e em que estruturas retinianas ele está exatamente localizado. A demonstração da presença do SARS-CoV-2 na retina é importante, mas outros estudos devem investigar se o vírus pode estar presente em outras estruturas oculares e se existe algum impacto ocular possível em pacientes Covid-19 positivos.

Referências bibliográficas:

  • Maria casagrande et. al. Detection od SARS-CoV-2 in human retinal biopsies of deceased COVID-19 patients. Ocul Immunol Inflamm. 2020.
Compartilhar
Publicado por
Juliana Rosa

Posts recentes

“Derressuscitação” volêmica na UTI: o que você precisa saber

O uso excessivo de fluidos em pacientes graves pode levar a consequências como injúria endotelial.…

2 horas atrás

Caso clínico: Devo garantir uma via aérea avançada precocemente à PCR?

Entenda esse caso assistindo no Clinical Drops “Devo garantir uma via aérea avançada precocemente à…

3 horas atrás

Novidades na categoria Pré-Natal e muito mais; veja a lista

O Nursebook ganhou novos conteúdos e atualizações nas categorias Doenças em Pediatria, Pré-Natal, Covid-19 e…

4 horas atrás

Como abordar a infecção primária de corrente sanguínea?

Saber diferenciar a infecção primária de corrente sanguínea e a secundária é fundamental! Hoje, falamos…

4 horas atrás

Monkeypox: Atualização confiável com evidências vivas

A monkeypox, ou varíola dos macacos, é uma nova doença infectocontagiosa que representa desafios na…

5 horas atrás

Anvisa determina apreensão de lotes falsificados de somatropina

A Anvisa determinou esta semana a apreensão de lotes falsificados de somatropina, medicamento utilizado para…

6 horas atrás