Juliana Rosa

Pós graduação Lato Sensu em Córnea pela UNIFESP ⦁ Especialização em lentes de contato e refração pela UNIFESP ⦁ Residência médica em Oftalmologia pela UERJ ⦁ Graduação em Medicina pela UFRJ ⦁ Contato via Instagram: @julianarosaoftalmologia

Blefarite por Demodex: novo tratamento TP-03 completa estudo de fase 3 

A blefarite é caracterizada por graus variados de inflamação palpebral e apresenta sintomas, como prurido, queimação e desconforto ocular.

Vacinas COVID 19: O que temos descrito sobre alterações da retina pós vacina?

Desde o início da pandemia, existe um esforço mundial no desenvolvimento de vacinas, mas algumas pessoas podem ter efeitos colaterais.

Glaucoma primário de ângulo fechado: o que sabemos sobre prevalência e fatores de risco

O glaucoma primário de ângulo fechado está associado com a oclusão do ângulo da câmara anterior, tendo maior propensão a cegueira bilateral.

Ceratocone: o que a última revisão fala sobre a clínica da doença?

A última revisão publicada na Contact Lens and Anterior Eye falou sobre o que é conhecido atualmente em relação a clínica do ceratocone.

Uso regular de inibidores da fosfodiesterase tipo 5 está associado a maior risco de alterações oculares? 

Um grande estudo encontrou um risco aumentado de alterações oculares associadas ao uso de inibidores da fosfodiesterase tipo 5.

Alterações oftalmológicas na criança com transtorno do espectro autista (TEA)

Um artigo de abril de 2020 teve como objetivo descrever alterações oftalmológicas em crianças com transtorno do espectro autista (TEA).

Ceratocone: o que a última revisão publicada fala sobre histopatologia e etiologia?

Uma revisão publicada na Contact Lens and Anterior Eye em janeiro de 2022 atualiza os conceitos sobre ceratocone.  

Ceratocone: o que a última revisão publicada fala sobre as definições e epidemiologia? 

Uma revisão publicada na Contact Lens and Anterior Eye em janeiro de 2022 atualizou os conceitos sobre o ceratocone.

Existe associação entre cirurgia de catarata e desenvolvimento de demência?

A demência afeta aproximadamente 50 milhões de pessoas no mundo e não existe um tratamento efetivo. Esforços para reduzir o risco ou atrasar esse processo são muito importantes. 20% dos adultos com mais de 65 anos tem déficit sensorial como perda de visão ou audição. Essas perdas poderiam ser um fator de risco modificável para demência. A catarata é a principal causa de cegueira no mundo, afetando mais de 35 milhões de pessoas. Os resultados associando a extração da catarata e o risco de demência são conflitantes.