Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Clínica Médica / Covid-19: Quais são as novas evidências sobre imunidade protetora?
médicos atendendo paciente com Covid-19 que terá imunidade

Covid-19: Quais são as novas evidências sobre imunidade protetora?

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O ano de 2020 tem sido marcado pela pandemia de Covid-19 e pela busca de uma vacina contra o SARS-Cov-2. A ciência tem caminhado rapidamente neste período, mas muitas dúvidas ainda permanecem: devemos nos preocupar possibilidade de reinfecção? Por quanto tempo os anticorpos neutralizantes conferem imunidade protetora?

Recentemente, publicamos aqui no portal um artigo sobre um relato de reinfecção. Hoje, falaremos sobre novas evidências sobre anticorpos neutralizantes pós-infecção.

Surto de Covid-19 em navio pesqueiro e imunidade

Um novo artigo foi publicado no Journal of Clinical Microbiology e analisou um surto de Covid-19 em um navio de pesca. Foi um estudo observacional que avaliou 122 tripulantes (113 homens e nove mulheres). Os investigadores realizaram swabs nasofaríngeos para teste de reação em cadeia da polimerase de transcrição reversa (RT-PCR) e sangue para teste sorológico de 120 dos 122 membros da tripulação ≤2 dias antes da partida.

Todos esses indivíduos tiveram resultados de RT-PCR negativos, mas o teste de rastreamento de anticorpos SARS-CoV-2 foi reativo em seis deles.

Leia também: É possível ter algum grau de imunidade à Covid-19 antes mesmo de pegar a doença?

No 18º da viagem, um membro da tripulação desenvolveu infecção por SARS-CoV-2 confirmada por RT-PCR e precisou de hospitalização, então o navio retornou para a costa. Posteriormente, todos os outros membros da tripulação foram submetidos a testes de RT-PCR e 114 forneceram amostras para sorologia.

Esses tripulantes foram acompanhados por um período médio de 32,5 dias. Neste intervalo, 101 membros da tripulação testaram positivo para SARS-CoV-2 por RT-PCR. A maioria destes também apresentaram anticorpos, assim como três dos 21 com resultados de RT-PCR negativos, resultando em uma taxa de ataque de 85% no navio.

Os investigadores também fizeram o sequenciamento genético de 39 amostras, que evidenciou que o surto resultou de um único clone viral. Inicialmente, seis membros da tripulação haviam apresentado anticorpos reativos antes de iniciar a viagem, destes apenas três mostraram anticorpos neutralizantes. Nenhum desses indivíduos testou positivo para SARS-CoV-2 ou apresentaram sintomas de Covid-19, enquanto os outros três desenvolveram infecção confirmada por RT-PCR, resultando em uma taxa de infecção de 88% em indivíduos sem anticorpos neutralizantes (P <0,002).

Veja mais: Covid-19: A bem-vinda imunidade cruzada de outros coronavírus com SARS-CoV-2

O estudo teve algumas limitações como a falta de informações sobre os sintomas clínicos para a maioria dos tripulantes do navio, além de não ter sido informado o conhecimento a respeito de contatos no navio. Outra limitação importante foi a baixa quantidade de tripulantes com anticorpos neutralizantes no início do estudo, o que dificulta as análises.

Mensagem prática

  1. Este artigo traz novas evidências de que a presença de anticorpos neutralizantes está relacionada a uma imunidade protetora contra a infecção por SARS-CoV-2.
  2. Esta informação é de grande importância para a avaliação das respostas imunes induzidas por vacinas.
  3. Aguardamos novos estudos para esclarecerem dúvidas a respeito da imunidade pós-Covid-19. Enquanto isso, devemos manter as medidas protetoras e, sempre que possível, o distanciamento social.

Autora:

Referências bibliográficas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.