Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Clínica Médica / Dengue: caso de transmissão sexual é confirmado na Espanha

Dengue: caso de transmissão sexual é confirmado na Espanha

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

O Ministério da Saúde do Brasil confirmou 596,38 mil casos de dengue neste ano até o dia 10 de junho, com um número provável de casos de 1,127 milhão. Uma das grandes preocupações em termos de prevenção da dengue é o controle do vetor, o mosquito Aedes aegypti. Porém, foi divulgada pela mídia esta semana uma nova e preocupante forma de transmissão: sexual.

Uma matéria do Jornal El Pais relatou que o Hospital Ramón y Cajal, em Madri, diagnosticou a dengue em um jovem que contraiu a doença mantendo relações desprotegidas com outra pessoa que havia adquirido o vírus, durante uma viagem pelo Caribe. Esta é uma das primeiras infecções sexualmente confirmadas no mundo, pois existem apenas referências na literatura científica de outro caso semelhante na Coréia do Sul.

A contaminação dessa vítima em Madri foi confirmada no final de setembro e intrigou os cientistas, pois ele não havia viajado para um país onde a dengue é endêmica. Também não haviam, no local onde eles estavam, mosquitos que pudessem justificar a contaminação.

Curiosamente, seu companheiro havia apresentado os mesmos sintomas, cerca de dez dias antes e havia viajado para Cuba. Segundo os testes, ambos tinham dengue. Além disso, uma análise das amostras dos dois revelou que era o mesmo tipo de vírus que circula em Cuba.

Veja também: Arboviroses: top 3 novidades de 2019

Esta descoberta evidencia um novo modo de transmissão do vírus, o que pode ter um impacto importante, pois levanta alguns questionamentos. Será que em regiões endêmicas teríamos também casos de transmissão sexual? Seria o Aedes aegypti menos culpado do que sempre imaginamos? Aguardamos novos estudos com esclarecimentos.

Receba todas as novidades em Medicina! Inscreva-se em nossa newsletter!

Autor:

Referência bibliográfica:

Um comentário

  1. Avatar
    Andressa G.Comercial

    Ola Dayanna, obrigado por compartilhar estas informações com os leitores. A dengue e um problema ainda muito serio e precisamos tomar cuidado. Desejando sucesso, Andressa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.