Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / Diabetes tipo 1: liraglutide pode ser útil no controle glicêmico?
diabetes

Diabetes tipo 1: liraglutide pode ser útil no controle glicêmico?

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: 2 minutos.

Diabetes tipo 1

O diabetes mellitus tipo 1 caracteriza-se por uma incapacidade do organismo em produzir insulina devido à destruição autoimune das células beta do pâncreas. Alguns pacientes com essa doença possuem dificuldade em manter controle glicêmico adequado, sendo mais propensos ao desenvolvimento de complicações graves. Os hormônios que participam desse controle incluem insulina, glucagon, GIP, GLP-1, cortisol, amilina, adrenalina e hormônio do crescimento. Há um desequilíbrio na regulação desses hormônios em diabéticos.

Liraglutide

O liraglutide é um antidiabético análogo do GLP-1, que estimula a liberação de insulina pelo pâncreas proporcional ao nível de glicose, suprime o glucagon, retarda o esvaziamento gástrico, reduz o apetite e provoca perda ponderal. Após o lançamento do liraglutide em 2011, um estudo de 12 semanas foi elaborado incluindo pacientes com diabetes tipo 1 e demonstrou impacto positivo em perda ponderal, melhora do controle glicêmico e redução na pressão arterial sistólica.

Leia mais: Repaglinida pode ser alternativa eficaz à insulina para diabéticos com fibrose cística?

Um novo estudo randomizado duplo-cego, de duração de 1 ano, com 46 pacientes diabéticos tipo 1 foi apresentado em 2018 e examinou os efeitos do liraglutide nessa população. Do total, 26 pacientes receberam diariamente liraglutide na dose de 1,8 mg e os demais, placebo por 26 semanas. Na 52ª semana, o grupo do liraglutide demonstrou resultados semelhantes ao estudo anterior:

  • Queda estatisticamente significativa nos níveis de hemoglobina glicada;
  • Perda ponderal;
  • Redução da pressão arterial sistólica.

Conclusões

O diabetes mellitus tipo 1 geralmente se manifesta em pacientes jovens e está associado a altas taxas de complicações, como retinopatia, nefropatia e doença renal terminal, neuropatia, doença macrovascular e morte prematura. Esses pacientes enfrentam dificuldade em alcançar níveis de glicose sérica próximos à faixa normal com o uso isolado de insulina, portanto a disponibilidade de uma medicação adicional que seja eficaz pode auxiliar na prevenção dessas complicações.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.