Página Principal > Oncologia > Dietas pró-inflamatórias podem aumentar o risco de câncer colorretal?
garfo e faca em preto e branco

Dietas pró-inflamatórias podem aumentar o risco de câncer colorretal?

Tempo de leitura: 2 minutos.

A inflamação é um fator importante no desenvolvimento do câncer colorretal. Em novo estudo, pesquisadores investigaram se dietas pró-inflamatórias podem aumentar o risco do desenvolvimento desse tipo de câncer. Os resultados foram publicados essa semana no JAMA Oncology.

Para isso, foi realizado um estudo de coorte de 46.804 homens (do Health Professionals Follow-up Study: 1986-2012) e 74.246 mulheres (do Nurses’ Health Study: 1984-2012), acompanhados por 26 anos para examinar a relação entre alimentos pró-inflamatórios e a incidência de câncer colorretal, através do escore EDIP (empirical dietary inflammatory pattern). Os pesquisadores também examinaram associações entre o consumo de álcool e peso corporal.

Foram documentados 2.699 casos de câncer colorretal. Os participantes do quintil mais baixo do EDIP apresentaram uma taxa de incidência de câncer colorretal de 113 (homens) e 80 (mulheres); já aqueles no quintil mais alto tiveram uma taxa de incidência de 151 (homens) e 92 (mulheres).

Veja também: ‘Câncer colorretal – novas diretrizes para prevenção’

Comparando os participantes no quintil mais alto vs. mais baixo em análises ajustadas multivariáveis, maiores pontuações no EDIP foram associadas a um aumento no risco de desenvolver câncer colorretal de 44% (homens: HR = 1,44; IC de 95%: 1,19 a 1,74; p<0,001), 22% (mulheres: HR = 1,22; IC de 95%: 1,02 a 1,45; p = 0,007) e 32% (homens e mulheres: HR = 1,32; IC de 95%: 1,12 a 1,55; p<0,001).

Na análise de subgrupos, as associações diferiram pelo nível de ingestão de álcool, com ligações mais fortes entre os homens (p = 0,002) e mulheres (p = 0,03) não consumindo álcool; e pelo peso corporal, com associações mais fortes entre homens com sobrepeso/obesidade (p = 0,008) e mulheres magras (p = 0,01).

Para os autores, esses achados sugerem que a inflamação é um mecanismo potencial que liga os padrões alimentares e o desenvolvimento do câncer colorretal. As intervenções para reduzir o papel das dietas pró-inflamatórias podem ser mais efetivas entre os homens com sobrepeso ou obesidade e mulheres magras, ou homens e mulheres que não consomem álcool.

Leia o estudo na íntegra nesse link.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Tabung FK, Liu L, Wang W, Fung TT, Wu K, Smith-Warner SA, Cao Y, Hu FB, Ogino S, Fuchs CS, Giovannucci EL. Association of Dietary Inflammatory Potential With Colorectal Cancer Risk in Men and Women. JAMA Oncol. Published online January 18, 2018. doi:10.1001/jamaoncol.2017.4844

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.