Página Principal > Colunistas > Diretriz considera medida de pressão arterial obrigatória na rotina pediátrica
medico em consulta com paciente pediatrico

Diretriz considera medida de pressão arterial obrigatória na rotina pediátrica

Tempo de leitura: 3 minutos.

Na diretriz, os autores começam nos mostrando que por meta-análise se demonstrou que os níveis de PA no início da vida são preditores dos níveis de PA na maioridade, e que a elevação de PA na infância desencadeia alterações crônicas no sistema cardiovascular. Essas observações e a importância futura foram a base para as atuais recomendações do Fourth Report on Blood Pressure in Children and Adolescents que considera obrigatória a medida anual da PA a partir dos três anos de idade, ou antes na presença de antecedentes importantes neonatais, doenças renais ou fatores de risco familiar. Tal prática deve ser incorporada a consulta de rotina pediátrica.

Na prática clínica temos três métodos válidos, se adequadamente empregados, para a avaliação da PA e screening diagnóstico de hipertensão: medida casual de PA no consultório, monitorização residencial da pressão arterial e monitorização ambulatorial da pressão arterial.

– Medida casual da pressão arterial:

Deve ser feita no consultório com técnica auscultatória, no braó, com esfigmomanômetro aneroide ou de coluna de mercúrio, ainda é a técnica mais utilizada. Deve ser realizada com paciente calmo por 2-3 minutos em ambiente tranquilo, sempre que possível. A velocidade de inflação do manguito deve ser rápida com deflação mais lenta e o manguito deve ser escolhido de acordo com a medida do braço do menor. Para pacientes maiores de três anos, utiliza-se a posição sentado com o braço (de preferencia direito) sob suporte. Para menores de três anos utiliza-se decúbito dorsal.

A pressão sistólica em membros inferiores deve ser verificada sempre que a pressão estiver elevada em membro superior. Esta pressão pode variar de alguns milímetros no lactente a 10-20 mmHg na criança maior e adolescente, mas a PA do braço nunca deve ser mais alta que no membro inferior.

  • Consideramos normal a medida casual de pA quando inferior ao percentil 90 para idade, sexo e percentil de estatura
  • Por sua vez, definimos como pré-hipertensão valores de PA iguais o superiores ao percentil 90 e inferiores ao P95 para idade, sexo e percentil de estatura, ou na adolescência PA maior ou igual a 120×80 mmHG e menor que P95 para idade, sexo e percentil de estatura.
  • Hipertensão é definida a partir de valores de PA iguais ou superiores a p95 para idade, sexo e percentil de estatura, confirmados em três ocasiões subsequentes.

O fenômeno hipertensão do jaleco branco também existe na pediatria, onde notaremos elevação da PA apenas no consultório medico e adotar a medida residencial da pressão arterial impede a influencia do observador e minimiza este fenômeno, sendo uma tendência crescente aceitar estas medidas.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

– Medida residencial da pressão arterial:

É o registro sistematizado da PA, por método indireto, realizada em dois períodos, pelo paciente ou pessoa treinada, durante a vigília, no domicilio ou no trabalho por vários dias. Deve-se utilizar equipamentos validados para o grupo em questão. A utilização na pediatria ainda é muito limitada, porem já recomendada em centros europeus para seguimento de crianças com doença renal ou hipertensão.

Já há dados que demonstram que a MRPA demonstra melhor reprodutividade em crianças e adolescentes que a medida isolada em consultório.

Mais da autora: ‘Neurodesenvolvimento na primeira infância: obesidade parental pode atrapalhar?’

– Monitorização ambulatorial de pressão arterial:

A MAPA permite avaliação não invasiva da PA por 24 horas em curtos períodos, Em adultos tem um valor prognóstico superior e o seu uso em pacientes pediátricos tem crescido desde a sua primeira descrição, sendo que em 2004 esta metodologia foi reconhecida como útil na avaliação de crianças hipertensas.

Ela tem sido mais aceita em crianças maiores de cinco anos na pratica diária e em estudos clínicos, mas ainda não temos estudos que avaliem desfecho clinico, portanto as recomendações pediátricas da MAPA são baseadas em opiniões de especialistas, não em evidências.

Clique aqui para ver as tabelas e gráfico de peso e PA.

Autora:

 

Referência:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.