Home / Blog do Whitebook / Educação médica continuada: por que ela deve ser constante em sua carreira?

Educação médica continuada: por que ela deve ser constante em sua carreira?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

A educação médica continuada permite que os profissionais continuem desenvolvendo suas competências e conhecimentos para entregar um atendimento ainda melhor aos seus pacientes.

Atualmente, completar a graduação não significa terminar seus estudos. Afinal, seis anos de curso não são suficientes para apresentar profundamente todas as especialidades e casos clínicos da área de saúde.

Seja por meio da residência ou experiência, o profissional de saúde continua se aperfeiçoando, e é fundamental que seu repertório seja atualizado com frequência.

O livro “Gestão do Amanhã”, de Sandro Magaldi e José Salibi Neto, afirma que cerca de 50% do conteúdo adquirido no primeiro ano de um curso, torna-se obsoleto no quarto ano.

Para que o profissional de saúde não fique preso a um presente que logo deixará de existir, é essencial investir na educação médica continuada. Veja neste artigo como isso é possível!

O que é educação médica continuada?

Um estudo da Revista Brasileira de Educação Médica sobre educação médica continuada online no Brasil traz o seguinte conceito:

“Educação médica continuada consiste em atividades educacionais que servem para manter, desenvolver ou melhorar o conhecimento, habilidades, além de relacionamento e desempenho profissional que médicos utilizam para prover serviços a pacientes […].”

Esse conceito é inspirado no CME (Continuing Medical Education), um sistema que oferece certificação para os profissionais que atingem critérios conquistados por meio de atividades educacionais como estudos de artigos científicos, cursos, eventos, entre outros.

Esse sistema é responsabilidade do ACCME (Accreditation Council for Continuing Medical Education), uma organização norte-americana que visa promover padrões de qualidade para a educação médica continuada.

Com a chegada de inovações tecnológicas como a internet, telemedicina e softwares médicos, os médicos conquistaram novas formas de aprimorar suas habilidades.

Agora, é possível contar com a educação médica continuada a distância, outro conceito trabalhado pelo mesmo estudo citado anteriormente:

“A Educação Médica Continuada a Distância pode ser definida como ‘um meio de acesso ao conhecimento e ao aperfeiçoamento dos profissionais e estudantes de Medicina, da área de saúde em geral e também do público leigo, para que possam adquirir novos conhecimentos’ por meio das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs).”

Entre as principais vantagens da EaD (Educação a Distância), podemos citar:

  • Ausência de restrição de tempo e espaço: mesmo com um dia a dia agitado, diferente de um curso presencial, um curso online consegue se adaptar a rotina do médico;
  • Professores e estudantes de qualquer lugar do mundo: é possível ter aulas com referências internacionais, além do compartilhamento de experiências com pessoas de todo o Brasil;
  • Cronograma de estudos personalizado: um curso a distância permite que o profissional se organize da melhor forma, ao invés de impor os horários das aulas;
  • Conteúdos diversificados: a maioria dos cursos tradicionais não oferecem materiais educativos como vídeos, tutoriais, lives, eBooks (livros digitais), que são encontrados abundantemente em cursos online.

A verdade é que nenhum profissional jamais estará completamente formado, mas em constante processo de formação.

Com inovações como inteligência artificial, computador quântico, robôs-cirurgiões, nanotecnologia e impressoras 3D, os médicos nunca poderão parar de estudar.

Mas como fazer isso com tantos obstáculos no caminho?

Profissional usa Whitebook para educação médica continuada

Os principais desafios da educação médica continuada

Apesar dos médicos precisarem continuar seu desenvolvimento profissional, a jornada de trabalho é exaustiva, e raramente sobra tempo para focar em estudos.

O sistema tradicional de ensino não foca em promover a autonomia dos alunos, e muitos não conseguem ter a autoaprendizagem, a habilidade de aprender sem a dependência de um fiscalizador.

Além disso, cursos prestigiados de Medicina raramente costumam abordar disciplinas como tecnologia e inovação, empreendedorismo, gestão médica, controle financeiro, entre outros.

Outro estudo da Revista Brasileira de Educação Médica sobre a visão dos estudantes de Medicina em relação ao mercado de trabalho, afirma que há carência dessa temática durante a graduação.

Nas poucas vezes em que o assunto é abordado nas aulas, há superficialidade e informalidade, o que resulta em uma aprendizagem não significativa, segundo os alunos.

“Os residentes citaram como causas dessa carência: o tradicionalismo no ensino médico, a supervalorização de áreas tecnicistas (em detrimento das Humanidades), a inércia da instituição de ensino e a inércia discente. Como consequência, o médico termina a graduação e entra “perdido” e inseguro no mercado no tocante ao Mundo do Trabalho.”

Felizmente, todos esses obstáculos podem ser superados com a gestão do tempo e as ferramentas certas. Continue a leitura e descubra como isso acontece na prática!

Como investir na educação médica continuada?

Existem milhares de formas de manter a educação recorrente na carreira médica, como a participação em congressos, seminários, eventos, leituras de artigos científicos, livros físicos, eBooks e estudos de casos clínicos.

Cursos onlines apresentam um forte diferencial para profissionais que não costumam ter tempo de estudar durante a semana. Eles podem ser feitos de qualquer lugar, e a qualquer momento.

Os cursos da iClinic, por exemplo, têm certificados de conclusão com conteúdos exclusivos para médicos em assuntos como empreendedorismo, gestão, telemedicina e marketing médico.

Inovações como o Whitebook, o maior aplicativo para médicos do Brasil, também permite que os profissionais acessem conteúdos mesmo sem internet, independentemente do local que estejam.

Nele, todos os conteúdos são desenvolvidos por médicos, e contam com mais de 9 mil materiais divididos em 38 especialidades, 1.600 prescrições, 2.000 medicamentos, 170 calculadoras, tudo para ajudar na decisão clínica dos profissionais.

A Afya, maior grupo de educação médica do país, oferece soluções como cursos preparatórios, de graduação e de pós-graduação focados em oferecer uma educação mediada pela tecnologia.

A Medcel, uma de suas soluções, oferece cursos preparatórios para residência médica, e permite que os estudantes comparem seus desempenhos, descobrindo em quais disciplinas precisam melhorar.

Não faltam opções de qualidade para quem deseja se aperfeiçoar, porém, assim como na graduação, é preciso ter muito esforço e dedicação, qualidades que todo profissional de saúde já possui.

Tenho certeza que com as ferramentas certas, você conseguirá investir na sua educação médica continuada, sem deixar de lado suas outras responsabilidades.

Mas e você, como costuma investir na sua educação? Compartilhe sua experiência com a gente aqui embaixo nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.