Educação virtual pode trazer mais riscos à saúde mental que as aulas presenciais? - PEBMED

Educação virtual pode trazer mais riscos à saúde mental que as aulas presenciais?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Um artigo, publicado março de 2021, no Centers for Disease Control and Prevention Morbidity and Mortality Weekly Report (MMWR), concluiu que a educação virtual pode representar mais riscos do que a escola presencial com relação à saúde mental e emocional da criança e dos pais.

No período entre 8 de outubro e 13 de novembro de 2020, Verlenden e colaboradores contaram com o apoio da instituição NORC no painel AmeriSpeak da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, para administrar uma pesquisa online ou por telefone.

Foram entrevistados 1.290 pais de crianças de 5 a 12 anos. Um total de 45,7%, 30,9% e 23,4% dos entrevistados relataram que seus filhos receberam educação virtual, presencial ou combinada, respectivamente.

mãe acompanhando criança em educação virtual

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Educação virtual

O estudo mostrou que, de acordo com os relatos dos pais, houve diminuição das taxas de atividade física, tempo gasto ao ar livre, tempo presencial e virtual com amigos e piora da saúde mental ou emocional entre as crianças que receberam educação virtual quando comparadas àquelas que receberam educação presencial.

Os pais de crianças que receberam educação combinada relataram os mesmos resultados para seus filhos que os de crianças que receberam educação virtual, com exceção da diminuição do tempo virtual com os amigos, em comparação àqueles que receberam educação presencial. Por fim, as crianças que receberam educação combinada tiveram taxas mais altas de atividade física e tempo gasto ao ar livre em comparação àqueles que receberam educação virtual.

Leia também: Você sabe o que é “Zoomdemia”? Já ouviu falar em “Zoom fatigue”?

Com relação aos pais cujos filhos receberam educação virtual, houve uma propensão maior a relatos de perda de trabalho, preocupações com a estabilidade no emprego, dificuldades com os cuidados infantis, conflito entre trabalhar e cuidar dos filhos, sofrimento emocional e dificuldades para dormir, em comparação àqueles cujos filhos receberam educação presencial.

Os pais cujos filhos receberam educação combinada foram mais propensos, em comparação àqueles cujos filhos receberam educação presencial, a relatar perda de trabalho e conflito entre trabalhar e cuidar dos filhos. Já os pais cujos filhos receberam educação virtual foram mais propensos a relatar sofrimento emocional, em comparação com aqueles cujos filhos receberam educação combinada.

Conclusões

Os resultados obtidos destacam a importância da aprendizagem presencial para o bem-estar físico e mental das crianças e para o bem-estar emocional dos pais. O estudo publicado pelo MMWR reflete a necessidade de apoio adicional para crianças que recebem educação virtual ou combinada e também para seus pais para mitigar o estresse, incluindo vínculo com serviços de saúde social e mental e oportunidades de se praticar atividades físicas seguras para reduzir os riscos associados a condições crônicas de saúde.

Os pesquisadores sugerem a adoção de programas de apoio e o uso de recursos para atender às necessidades da comunidade, garantir acesso equitativo aos serviços e abordar as desigualdades de saúde ou educacionais para famílias de grupos de minorias raciais e étnicas.

Mais da autora: Dia do Autismo: o que pode ter relação com o aumento de diagnósticos?

Portanto, ações em toda a comunidade para reduzir a incidência de Covid-19 e apoiar estratégias de mitigação nas escolas são extremamente importantes para apoiar o retorno dos alunos à aprendizagem presencial. Por fim, gostaria de lembrar que os pais precisam cuidar de seus filhos, mas também precisam cuidar de si mesmos.

Autora:

Referências bibliográficas:

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar