Home / Saúde Pública / Eleições 2018: confira propostas dos candidatos à presidência para saúde

Eleições 2018: confira propostas dos candidatos à presidência para saúde

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

No próximo domingo (7) serão realizadas as Eleições 2018 para presidente, senador, deputado federal e governador. Para conquistar o eleitorado, cada candidato apresenta propostas para melhoria de diversas áreas, como educação, segurança pública, economia, políticas externa e interna. A saúde é um dos setores mais urgentes para a sociedade, tanto em âmbito nacional quanto regional.

Cada presidenciável elaborou programas de governo sobre a saúde que, se eleitos, colocarão em prática quando forem empossados. Em entrevista ao G1, representantes oficiais dos presidenciáveis relataram quais estratégias de gestão serão destinadas a este segmento, principalmente no que tange ao Sistema Único de Saúde (SUS). A matéria levou em consideração os cinco candidatos mais bem posicionados nas últimas pesquisas de intenção de voto.

Leia mais: Novidades sobre diagnóstico e tratamento de tuberculose no SUS

Responderam aos questionamentos representantes dos candidatos Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (REDE). A equipe do candidato Jair Bolsonaro (PSL) foi contatada, porém até o fechamento da matéria não houve resposta, então foram levados em consideração os pontos que constam no programa de governo de Bolsonaro.

Eleições 2018

Financiamento do SUS

Ao serem questionados sobre como seria o financiamento do SUS em relação ao teto de gastos de 20 anos, Ciro Gomes (PDT) e Fernando Haddad (PT) afirmaram que pretendem, na realidade, revogar a Emenda Constitucional 95 que implementou o teto de gastos; Haddad afirma ainda que irá rever a renúncia fiscal e alterar a estrutura tributária. Geraldo Alckmin (PSDB) propôs controlar o déficit primário e reduzir a dívida pública para haver recursos para o SUS, além de investir em parcerias público-privadas (PPPs). Marina Silva (REDE) disse que não pretende revogar o teto de gastos mas aumentar a participação da União. No plano de governo de Jair Bolsonaro (PSL) não há menção específica sobre financiamento do SUS, porém no documento de campanha há a criação do programa Médicos do Estado, que atenderiam em locais longínquos.

Infraestrutura do sistema de saúde

Sobre melhoria na infraestrutura do sistema de saúde pública, os presidenciáveis pretendem ampliar e melhorar o atendimento à população. Geraldo Alckmin (PSDB) quer aumentar a inclusão, o atendimento e dar a todos os indivíduos acesso igualitário, além de contar com o apoio da iniciativa privada. Marina Silva (REDE) quer ampliar a cobertura da atenção básica, mudar a forma de gerência para uma gestão integrada do SUS e garantir o acesso a medicamentos essenciais e implementar novas equipes de saúde da família. Para Fernando Haddad (PT) é essencial fortalecer o sistema com foco na atenção básica, saúde da família e diversidade no atendimento conforme a realidade de cada região. No programa de Jair Bolsonaro (PSL), há a previsão de uma estrutura de prontuário eletrônico nacional, na qual todo atendimento é registrado e os pacientes terão a possibilidade de expressar o grau de satisfação do serviço. Já Ciro Gomes (PDT), propõe reforçar o programa de imunização nacional, atenção básica e também ampliação do acesso a serviços de emergência e de urgência.

Melhoria do SUS

Por fim, para melhorar o SUS e tirá-lo da situação atual de abandono, os candidatos à presidência teceram comentários sobre quais métodos usarão para reverter o problema. Jair Bolsonaro (PSL), em seu programa de governo, criará o programa Credenciamento Universal dos Médicos, cujo objetivo é dispor toda “força de trabalho da saúde” para ser utilizada no SUS a fim de garantir o acesso ao serviço. Marina Silva (REDE) almeja criar uma gestão eficiente baseada na regionalização para combater a corrupção e os desperdícios, outra meta é investir na formação de médicos no Brasil, principalmente os médicos de família. Fernando Haddad (PT) quer aumentar o investimento na saúde para até 6% do PIB, expandir o programa Mais Médicos e investir na valorização dos profissionais de saúde. Ciro Gomes (PDT) apontou o subfinanciamento da rede de saúde como a causa do sucateamento, para Gomes é essencial focar em financiamento e na gestão de eficiência. O candidato Geraldo Alckmin (PSDB) menciona os mesmos pontos de Ciro Gomes sobre financiamento e gestão e propõe a criação de centros de excelência com base em saúde primária.

Caso queria conhecer mais propostas, o site do Tribunal Superior Eleitoral reúne todos os programas de governo dos presidenciáveis.

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.