Página Principal > Cardiologia > Estudo compara risco cardiovascular do diclofenaco e outros anti-inflamatórios
anticoagulantes

Estudo compara risco cardiovascular do diclofenaco e outros anti-inflamatórios

Tempo de leitura: 2 minutos.

O risco cardiovascular do uso de anti-inflamatório não-esteroide (AINE) é uma preocupação importante entre os profissionais de saúde. Um novo artigo do British Medical Journal, publicado em setembro, examinou os riscos de iniciar diclofenaco – um dos AINE mais utilizados – com outros anti-inflamatórios similares, como o paracetamol e o ibuprofeno.

Para esse estudo, pesquisadores dinamarqueses utilizaram o registro nacional para comparar as taxas de eventos cardiovasculares adversos após o início do diclofenaco, outros AINE ou paracetamol. Indivíduos elegíveis para inclusão foram adultos com baixo risco de base (sem esquizofrenia, demência ou doenças cardiovasculares, renais, hepáticas ou úlceras).

Diclofenaco e o risco cardiovascular

O estudo incluiu 1.370.832 pessoas que iniciaram diclofenaco, 3.878.454 que iniciaram ibuprofeno, 291.490 que iniciaram naproxeno, 764.781 que iniciaram paracetamol e 1.303.209 controles que não iniciaram nenhuma medicação.

A taxa de eventos adversos entre o grupo diclofenaco foi 50% maior em comparação com os controles (taxa de incidência de 1,5; IC de 95%: 1,4 a 1,7), 20% maior em comparação com o grupo paracetamol ou ibuprofeno (ambos 1,2: 1,1 a 1,3) e 30% maior em comparação com o grupo naproxeno (1,3: 1,1 a 1,5). Os riscos permaneceram elevados quando os dados foram estratificados por idade e sexo.

Hemorragia digestiva alta

O risco de hemorragia digestiva alta (HDA) em 30 dias também foi acentuado com diclofenaco: 4,5 vezes maior em comparação com controles e aproximadamente 2,5 vezes em comparação com ibuprofeno, paracetamol ou naproxeno.

Pelos achados, os pesquisadores concluíram que o diclofenaco pode representar um risco para a saúde cardiovascular em comparação com outros anti-inflamatórios não-esteroides.

LEIA MAIS: Uso de AINE em vigência de aspirina – qual a combinação mais segura?

Referências:

  • Schmidt Morten, Sørensen Henrik Toft, Pedersen Lars. Diclofenac use and cardiovascular risks: series of nationwide cohort studies BMJ 2018; 362 :k3426

2 Comentários

  1. mariana Binda anacleto morais

    Ótimo texto. Mariana Binda A. MORAIS -Psicóloga SBC/SP

  2. Raimundo José A.de O.Pinto

    Bastante esclarecedor principalmente para nós cardiologistas.Cada vez mais nos deparamos com pacientes cardiopatas com múltiplas co_morbidade incluindo osteoartrites em uso de diclofenaco de sódio que sabidamente elevam a pressão arterial,aumentam a mortalidade cardiovascular ,inclusive por IAM e podem provocar disfunção renal importante.
    Tenho tido muitos embates com os ortopedistas especialmente devido a prescrição desse AINE em idosos hipertensos e com outras comodidades.De acordo com estudos anteriores os inibidores da COX 1 mais seguros são o naproxeno e o ibuprofeno por curtos períodos de tempo associados a fisioterapia indicada para cada caso específico.
    Dos inibidores da COX 2 segundo um estudo do European Heart Journal,,randomizado,placebo controlado e em comparação com outros inibidores da COX 2 ,o celocoxid ( CELEBRA) foi o que causou menos efeitos colaterais e menos impacto na mortalidade cardiovascular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.