EuroElso 2019: uso de ECMO perioperatória em crianças com estenose traqueal - PEBMED

EuroElso 2019: uso de ECMO perioperatória em crianças com estenose traqueal

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Um trabalho bastante interessante mostrado no EuroElso 2019, de autoria de Biryukov e colaboradores, analisou retrospectivamente a literatura de pacientes que receberam oxigenação por membrana extracorpórea (extracorporeal membrane oxygenation – ECMO) venoarterial (VA) durante cirurgias para correção de estenose traqueal congênita.

Foram avaliados dados de 37 crianças. Houve dois tipos de canulação nestes pacientes: periférica (artéria carótida comum e veia jugular interna) e central (aorta e átrio direito). As cirurgias foram como se segue: traqueoplastia de deslizamento, reimplante de artéria pulmonar e reimplante de artéria subclávia direita. A idade dos pacientes variou de 15 dias a 12 anos. Dois pacientes (5,4%) morreram no período pós-operatório e 35 crianças (94,5%) receberam alta hospitalar.

Leia maisEuroElso 2019: lesão cerebral isquêmica e hemorrágica em pacientes submetidos à ECMO

A duração média da ECMO foi de 126 minutos (mínimo de 72 e máximo de 142 minutos). Todos os pacientes foram decanulados no centro cirúrgico. O tempo médio de ventilação mecânica foi de 9,4 dias e o tempo médio de internação hospitalar foi de 36 dias. Houve sangramento relacionado a heparinização em apenas um pacientes, resultando em reabertura do esterno.

Os autores concluíram que a ECMO realizada durante o período intraoperatório permitiu a sobrevivência de praticamente 95% dos pacientes com estenose traqueal congênita. A estenose traqueal congênita é uma malformação rara e potencialmente letal, e que engloba diversas entidades patogenicamente distintas, porém associadas a uma diminuição do calibre da via aérea. Antes do advento da ECMO neste tipo de cirurgia, a taxa de sobrevivência destes pacientes era extremamente baixa (segundo os autores, em torno de 5%).

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

  • BIRYUKOV, P. et al. Intraoperative extracorporeal membrane oxygenation in children with tracheal stenosis. Perfusion, v.34, n.1S, p.236-237, 2019.
  • TERRA, R. M. et al . Tratamento cirúrgico das estenoses traqueais congênitas. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v.35, n.6, p.515-520, 2009.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar