Página Principal > Urologia > Existe risco de suicídio, comportamento auto agressivo ou depressão no tratamento da hiperplasia benigna de próstata?
mãos de um homem em preto e branco

Existe risco de suicídio, comportamento auto agressivo ou depressão no tratamento da hiperplasia benigna de próstata?

Tempo de leitura: 2 minutos.

A hiperplasia benigna da próstata é uma das doenças benignas mais comuns nos homens, que pode conduzir ao aumento do volume da próstata, obstrução da próstata e/ou sintomas do trato urinário inferior. Os sintomas do trato urinário inferior são encontrados em aproximadamente um quarto dos homens com idade superior a 70 anos.

As diretrizes da sociedade americana, canadense e europeia de urologia recomendam o uso de inibidor da 5α-redutase como terapia para os casos de hiperplasia benigna da próstata relacionados com sintomas do trato urinário inferior. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, os inibidores da α-5-redutase apresentam eficácia e segurança em pacientes com sintomas do trato urinário inferior associados a significativo aumento do volume prostático.

Entretanto, eventos adversos psiquiátricos graves associados aos inibidores da 5a-redutase são motivos de preocupação para pacientes e agências reguladoras. O uso de inibidores da 5α-redutase para o tratamento da hiperplasia benigna da próstata está associado com risco de suicídio, comportamento auto agressivo ou depressão?

As melhores condutas médicas em Urologia você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Para responder a esta pergunta, um estudo observacional retrospectivo foi realizado para determinar se existe um risco aumentado de suicídio, auto agressão ou depressão entre homens mais velhos que iniciaram o uso de inibidor de 5α-redutase como terapia para o aumento da próstata.

Os homens que usaram inibidores da 5α-redutase não apresentaram aumento do risco de suicídio (hazard ratio [HR]: 0,88; intervalo de confiança [IC] 95%: 0,53 a 1,45). O risco de auto agressão aumentou significativamente durante os primeiros 18 meses após o uso do inibidor da 5a-redutase (HR: 1,88; IC 95%: 1,34 a 2,64), mas foi não mantido posteriormente.

O risco de depressão foi elevado durante os 18 meses após o início do inibidor da 5α-redutase (HR: 1,94; IC 95%: 1,73 a 2,16), e permaneceu elevado, mas em menor grau, para o resto do seguimento (HR: 1,22; IC 95%: 1,08 a 1,37).

O risco de auto agressão e depressão deve ser considerado ao prescrever inibidores da 5α-redutase. Em pacientes que apresentam pensamentos ou evidências de auto agressão, ou com um novo diagnóstico de depressão, o uso contínuo desta medicação deve ser reavaliado.

Mais em Urologia:

Autora:

Referências:

  • Welk B, McArthur E, Ordon M, Anderson KK, Hayward J, Dixon S. Association of Suicidality and Depression With 5α-Reductase Inhibitors. JAMA Intern Med [Internet]. 2017;17(2):51–7. Available from: https://archinte.jamanetwork.com/article.aspx?doi=10.1001/jamainternmed.2017.0089
  • Sociedade Brasileira de Urologia, Medicina SB de, Comunidade de F e. Projeto Diretrizes Hiperplasia Prostática Benigna Projeto Diretrizes. 2006;1–19.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.