Página Principal > Whitebook > Febre amarela: veja as manifestações clínicas e a abordagem diagnóstica
mosquito picando homem

Febre amarela: veja as manifestações clínicas e a abordagem diagnóstica

Essa semana falamos todos os detalhes sobre a vacinação fracionada da Febre Amarela. Por isso, em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision, trazemos as manifestações clínicas e a abordagem diagnóstica da doença.

Veja as melhores condutas médicas no Whitebook Clinical Decision!

Este conteúdo deve ser utilizado com cautela, e serve como base de consulta. Este conteúdo é destinado a profissionais de saúde. Pessoas que não estejam neste grupo não devem utilizar este conteúdo.
  • Apresentação Clínica

    Anamnese

    • Quadro clínico: O paciente pode ter uma infecção subclínica, um quadro febril inespecífico sem icterícia ou um quadro grave com febre, icterícia, disfunção renal e hemorragia.
    • Durante a viremia, as manifestações são inespecíficas, podendo haver febre, mal-estar, cefaleia, fotofobia, dor lombar, dor nos membros inferiores (particularmente joelhos), mialgia, anorexia, náuseas, vômitos, agitação, irritabilidade e tontura.
    • Alguns indivíduos voltam a apresentar manifestações clínicas após um período de remissão, incluindo febre, prostração, náuseas, vômitos, epigastralgia, icterícia, oligúria e eventos hemorrágicos (vômitos em borra de café, melena, hematúria, metrorragia, petéquias, equimoses, epistaxe, gengivorragia e sangramento nos locais de punção venosa). Tal fase é marcada por disfunção de múltiplos órgãos, como fígado, rins e sistema cardiovascular.
    • Marcadores de gravidade:
    • • Idosos;
    • • Anúria;
    • • Hipotermia;
    • • Agitação;
    • • Delirium;
    • • Soluços incontroláveis;
    • • Convulsões;
    • • Hipoglicemia;
    • • Hipercalemia;
    • • Acidose metabólica;
    • • Respiração de Cheyne-Stokes;
    • • Choque;
    • • Coma.

    Exame Físico

    • Evidenciam-se febre alta e hiperemia conjuntival e gengival. A língua é caracteristicamente vermelha na ponta e nas laterais, com um revestimento branco no centro. Pode haver hepatomegalia dolorosa.
    • A frequência cardíaca é relativamente baixa para o grau de febre (sinal de Faget).
  • Abordagem Diagnóstica
    • Laboratorialmente, as anormalidades incluem leucopenia com neutropenia relativa e linfocitose, trombocitopenia, aumento de transaminases (com predomínio de TGO) e bilirrubinas (às custas da fração direta), aumento de creatinina e alargamento de PTT.
    • Exames de rotina:
    • • Hemograma;
    • • Função renal e eletrólitos;
    • • Função hepática;
    • • Coagulograma;
    • • EAS;
    • • Spot urinário;
    • • Detecção do RNA viral por PCR, sorologia ou isolamento viral.
    • Critérios diagnósticos: O diagnóstico é confirmado por detecção de antígenos virais ou de RNA viral ou por sorologia (IgM positivo).
  • Diagnóstico Diferencial
    • • Hepatites virais;
    • • Influenza;
    • • Dengue;
    • • Malária;
    • • Febre tifoide;
    • • Leptospirose;
    • • Mononucleose;
    • • Acidente por animais peçonhentos.
Este conteúdo foi desenvolvido por médicos, com objetivo de orientar médicos, estudantes de medicina e profissionais de saúde em seu dia-a-dia profissional. Ele não deve ser utilizado por pessoas que não estejam nestes grupos citados, bem como suas condutas servem como orientações para tomadas de decisão por escolha médica. Para saber mais, recomendamos a leitura dos termos de uso dos nossos produtos.

3 Comentários

  1. Renata noronha

    Tenho muitas dúvidas em relação ao paciente > 60 anos..
    devemos avaliar risco(área de risco)/ benefício, ou é contra indicado de uma maneira geral.

  2. O que significa spot urinário?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.