Fibrilação atrial: quando devemos anticoagular? - PEBMED

Fibrilação atrial: quando devemos anticoagular?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

A fibrilação atrial (FA) gera um estado protrombótico acentuado, com consequências tromboembólicas graves, sendo a principal – e a mais temida – o acidente vascular encefálico (AVE) isquêmico.

Já dá para ter noção da importância da anticoagulação nesse contexto, não é mesmo? Mas quando devemos, afinal, anticoagular esse paciente? Sempre? Nunca? De vez em quando? Descubra neste SVCast!

Quer saber mais sobre o nosso treinamento avançado? Não perca tempo! Clique aqui.

Faça valer a pena. Faça valer a vida.

Autor:

Referências:

  • Magalhães LP, Figueiredo MJO, Cintra FD, Saad EB, Kuniyishi RR, Teixeira RA, et al. II Diretrizes Brasileiras de Fibrilação Atrial. Arq Bras Cardiol 2016; 106(4Supl.2):1-22.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar