Handoff: Uma prática para salvar vidas (parte 1)

O Handoff (passagem de caso, em português) tem como objetivo reduzir eventos adversos como erros na medicação, atrasos no diagnóstico e tratamento.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

250-BANNER5Você já se viu na situação onde a informação passada na troca de plantão não era exatamente a que correspondia a situação do paciente? Ou então, algum dado ficou perdido ou mal compreendido? Isto pode ser muito perigoso, na verdade, estima-se que todos os anos milhares de pacientes são expostos a alguma forma de risco, devido a uma informação mal transmitida. Esta má prática não apenas afeta a vida dos pacientes como impacta diretamente nos gastos em saúde. Para reduzir esse efeito desenvolveu-se as técnicas de Handoff.

O Handoff (o equivalente em português a passagem de caso) tem como objetivo reduzir eventos adversos como erros na medicação, atrasos no diagnóstico e tratamento. Através de técnicas básicas, garante-se que a informação transmitida continue relevante e completa.

Comumente, esta prática pode ser aplicada de duas formas: transferência de pacientes (intra ou extra hospitalar) e passagem de plantão/alta hospitalar.

Um clássico exemplo de transferência de pacientes é a aplicação da prática na passagem de um paciente de um centro cirúrgico para uma unidade intensiva. Este tipo de transferência possui altíssimo risco e envolve o transporte desse paciente, associado a múltiplos Handoffs com diferentes profissionais: anestesistas para intensivista, cirurgião para intensivista, enfermeira do centro cirúrgico para enfermeira da unidade intensiva, anestesista para fisioterapeuta e por aí se segue.

As passagens de plantão ocorrem em todos os setores de internação, sendo muito mais crítico quando pensamos em emergência e terapia intensiva. A atenção nos detalhes é fundamental, e qualquer informação que passe desapercebida pode ter consequências que nem sempre serão notadas a tempo, causando um dano ao paciente.

500x250banner2

Pacientes e familiares podem contribuir para auxiliar na boa prática deste cuidado com o paciente. Caso esteja lúcido e colaborativo, o paciente pode perguntar sobre a medicação administrada ou observar a leitura das informações contidas em sua pulseira, bem como perguntas sobre próximos passos no tratamento e resultados de exames complementares.

A prática de Handoff não é uma grande novidade na medicina e vem sendo estudada com intensidade nos últimos anos. E este tema não é somente de interesse dos médicos, como também das agências regulatória, de acreditação e na gestão hospitalar.

A passagem de caso é um evento complexo e não ensinado de maneira regular nas faculdades de medicina. Isto contribui para consequências desastrosas nos cuidados em saúde. Estima-se que Handoff mal executados estão relacionados a 28% dos erros em cirurgia e 20% dos eventos de má prática médica em setores de internação.

Já está comprovado que apenas a transmissão exata não é o suficiente para garantir o sucesso do Handoff. Quando os profissionais se concentram inadequadamente nas informações, isto faz com que a mensagem seja recebida de maneira superficial. Um exemplo clássico é passagem de caso onde não há perguntas da parte receptora. É valido argumentar que trata-se de conhecimento prévio sobre o paciente, entretanto, estudos comprovam que, em pelo menos 20% dos casos, alguma informação clínica importante foi omitida ou corrompida nos Handoffs subsequentes.

Desta maneira podemos perceber que tão importante quanto saber passar um caso é saber recebê-lo.

Falaremos mais sobre a prática do Handoff na segunda parte desse artigo.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique Aqui!

Referências:

  • Michael D Cohen et al. – A handoff is not a telegram: an understanding of the patient is co-constructed
  • Meghan B. Lane-Fall et al. – ICU Attending Handoff Practices
  • Meghan B Lane-Fall et al. – Handoffs and transitions in critical care (HATRICC): protocol for a mixed methods study of operating room to intensive care unit handoffs
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão