Hanseníase: Brasil permanece em 2ª posição no registro de novos casos

A hanseníase é uma doença crônica, transmissível, de notificação compulsória e investigação obrigatória em todo território nacional.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

A hanseníase, que já foi conhecida no passado como lepra, é uma doença crônica, transmissível, de notificação compulsória e investigação obrigatória em todo território nacional. Seu agente etiológico é o Micobacterium leprae, bacilo capaz de infectar muitos indivíduos, e atinge principalmente a pele e os nervos periféricos.

Infelizmente, o Brasil ainda ocupa a segunda posição mundial no registro de novos casos, ficando atrás apenas da Índia. Logo, estes altos indicadores fazem com que a hanseníase permaneça como um importante problema de saúde pública no país, onde o Ministério da Saúde segue dando prioridade ao programa para sua eliminação.

Com um grande período de incubação, a doença demora em média de 2 a 7 anos para manifestar sinais e sintomas. Existem referências com períodos mais curtos, de sete meses, como também mais longos, de dez anos.

A transmissão ocorre especialmente pelas vias aéreas superiores (gotículas liberadas na tosse ou espirro) e a infecção subclínica é bastante comum.

Veja também: Sarampo: perguntas e respostas para enfermeiros

Portanto a doença pode ser dividida em quatro tipos:

  • Indeterminada: quando não há comprometimento dos troncos nervosos;
  • Tuberculoide: quando já há distúrbios de sensibilidade;
  • Dimorfa: que é uma forma de transição;
  • Virchowiana: que é o único tipo contagioso.

A forma clínica inicial (hanseníase indeterminada) tem um espectro clínico histopatológico que varia desde:

  • Tuberculoide: uma forma de maior resistência;
  • Lepromatoso: sem resistência ao bacilo;
  • Borderline: forma intermediária.

A hanseníase pode ser classificada pelo tipo e número de áreas da pele afetadas:

  • Paucibacilar: até cinco lesões na pele sem detecção de bactéria nas amostras destas áreas;
  • Multibacilar: acima de seis lesões na pele, detecção de bactéria nas amostras das lesões da pele, ou ambos.

enfermeiro tocando a mão de paciente com hanseníase

Como identificar a hanseníase

Como sinais e sintomas, a doença pode apresentar:

  • Manchas hipocrômicas e esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas, em qualquer região do corpo, apresentando perda ou alteração de sensibilidade térmica (ao calor e frio), tátil (ao tato) e à dor, que podem estar principalmente nas extremidades dos membros superiores e inferiores, na face, nas orelhas, no tronco, nas nádegas e nas pernas;
  • Áreas com redução dos pelos e do suor;
  • Dor e sensação de choque, formigamento, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços e das pernas;
  • Edema de mãos e pés;
  • Redução da sensibilidade e/ou da força muscular da face, mãos e pés, devido à inflamação de nervos, que nesses casos podem estar engrossados e doloridos;
  • Úlceras de pernas e pés;
  • Nódulos, em alguns podendo estar avermelhados e dolorosos;
  • Juntas apresentando febre, edemas e dor;
  • Entupimento, sangramento, ferida e ressecamento do nariz;
  • Olhos ressecados.

O seu diagnóstico é clínico e epidemiológico, realizado por meio do exame geral e dermatoneurológico para identificar lesões ou áreas de pele com alteração de sensibilidade e/ou comprometimento de nervos periféricos, com alterações sensitivas e/ou motoras e/ou autonômicas.

Em crianças, o diagnóstico necessita de uma avaliação ainda mais criteriosa, em vista da dificuldade de aplicação e interpretação dos testes de sensibilidade. A identificação de infecção em crianças, podem sinalizar transmissão ativa da doença, especialmente entre os familiares, o que deve, portanto, intensificar a investigação dos contatos.

O tratamento ainda é realizado através de esquemas terapêuticos com rifampicina, dapsona, clofazimina e corticoides (reações inflamatórias das reações hansêmicas), e apresenta eficácia quando seguido da forma correta.

Leia mais: Xerostomia em cuidados paliativos: intervenções da enfermagem

Hanseníase no Brasil

É sabido que a hanseníase apresenta forte relação com as condições econômicas, sociais e ambientais desfavoráveis. E, no Brasil, apresenta uma distribuição heterogênea, com altas concentrações nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, importantes áreas de transmissão da doença.

Fazendo com que os considerados “focos” sejam mantidos, visto que é difícil interromper esta cadeia de transmissão.

A dificuldade de acesso à rede de serviços disponibilizados pelo governo por parte da população, sugere que há uma carência e urgência na incorporação de novas estratégias para oferecer assistência integral à população acometida pela doença.

O Nursebook, aplicativo de tomada de decisão para enfermeiros, já está disponível para sistemas Android! Clique aqui e baixe grátis!

Referências bibliográficas:

  • Mendonça, Vanessa Amaral et al. Imunologia da hanseníase immunology of leprosy. An Bras Dermatol, 2008;
  • Lastória, Joel Carlos; ABREU, M. A. M. M. Hanseníase: diagnóstico e tratamento. Diagn Tratamento, 2012;
  • Gonçalves, Soraya Diniz; SAMPAIO, Rosana Ferreira; ANTUNES, Carlos Maurício de Figueiredo. Fatores preditivos de incapacidades em pacientes com hanseníase. Revista de Saúde Pública, 2009;
  • Blanco, José Ramón; Raoult, Didier. Enfermedades Producidas por Bartonella Spp. Enfermedades Infecciosas Y Microbiologia Clinica, 2005;
  • Fitzpatrick TB, Wolff K. Fitzpatrick: tratado de dermatologia. Revinter; 2011;
  • Neto CF, Cucé LC, Dos Reis VMS. Manual de Dermatologia. Editora Manole, 2013.
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades