Página Principal > Enfermagem > Sarampo: perguntas e respostas para enfermeiros.

Sarampo: perguntas e respostas para enfermeiros.

Tempo de leitura: 3 minutos.

 

O que é?

O Sarampo consiste em uma doença viral aguda, altamente contagiosa, causada pelo vírus da família Paramyxoviridae. 

Como é transmitido?

Contato direto ou por secreções do trato respiratório da pessoa infectada (partículas virais/ aerossóis). O período de transmissão varia de quatro dias antes a quatro dias após o início do exantema.

Quais os sintomas?

  • Primeiros dias: febre alta, tosse, coriza, conjuntivite e fotofobia;
  • Exantema maculopapular, que se inicia na região retroauricular;
  • Manchas de Koplik: manchas esbranquiçadas na mucosa oral, que geralmente antecedem ao exantema.

Quais são as complicações?

  • Infecções Respiratórias;
  • Otites;
  • Doenças Diarreicas;
  • Meningite;
  • Outras doenças neurológicas.

O que preciso investigar na anamnese?

O enfermeiro deve coletar o histórico da doença, com enfoque nos seguintes pontos:

  • Início e manifestação dos sinais e sintomas;
  • Contato direto com algum caso de sarampo;
  • Situação Vacinal (de acordo com a idade);
  • Gestação (adolescentes), devido ao risco de aborto espontâneo no 1º trimestre;
  • Pontos Gerais: Presença de outras comorbidades, imunossupressão, uso de medicamentos, alergias medicamentosas, peso, etc

O que devo examinar na pessoa com Sarampo?

  • Verificar Sinais Vitais: Atentar para presença de febre e taquicardia, principalmente;
  • Inspeção da mucosa ocular: Atentar para sinais de conjuntivite (hiperemia, secreção ocular, edema palpebral);
  • Inspeção da cavidade oral: Atentar para presença de manchas de koplik;
  • Inspeção da Pele: Observar presença, local e características de exantema.

Leia também: O movimento antivacinas e o aumento dos casos de sarampo

Como é feito o diagnóstico médico?

 O diagnóstico é clínico e laboratorial, a partir da identificação de anticorpos IgM no sangue, na fase aguda.

Qual é o tratamento?

Não há tratamento específico. Administração de medicações antitérmicos, hidratação e suporte nutricional. Deve ser realizado suplementação de vitamina A imediatamente após o diagnóstico para prevenção de casos graves e fatais. Dose:

  • Crianças < seis meses: 50.000 unidades, em aerossol, dois dias seguidos;
  • Crianças entre seis e 12 meses de idade: 100.000 unidades, em aerossol, dois dias seguidos;
  • Crianças maiores de 12 meses de idade: 200.000 unidades, em aerossol ou cápsula, dois dias seguidos.

Veja também: Medidas de prevenção para sarampo

Qual é o esquema vacinal para crianças?

A vacinação contra o Sarampo é feita aos 12 meses de vida com a 1ª dose da vacina Tríplice Viral, que protege contra o Sarampo, a Caxumba e a Rubéola. Aos 15 meses de vida é feita 2ª dose da vacina Tetra viral, que protege contra Sarampo, Caxumba, Rubéola e Catapora.

Por conta dos surtos de Sarampo em alguns estados brasileiros, o Ministério da Saúde preconiza uma dose da vacina em crianças entre 6 meses a 1 ano. Esta dose é considerada uma dose extra, sendo necessária vacinação aos 12 e as 15 meses de vida da criança.  

Qual é o esquema vacinal para adultos?

  • Adultos com idade até 29 anos: é necessário que tenha duas doses na vida. Ou seja, caso não tenha nenhuma dose ou não tenha como comprovar a vacinação, deve-se administrar duas doses. Se tiver uma dose, deve-se completar o esquema com mais uma dose; e se tiver duas doses comprovadas, não deve ser vacinado. 
  • Adultos com idade entre 20 a 59 anos: deve ter uma dose da vacina na vida. 
  • Adultos com 60 anos ou mais: não precisam ser vacinados.
  • Grávidas: não podem receber a vacina. 

Quais são os principais cuidados de enfermagem?

  1. Realizar medidas farmacológicas e não farmacológicas para o manejo da febre.
  2. Promover ingesta adequada de líquidos e nutrientes, bem como repouso.
  3. Manter técnica de isolamento de contato e isolamento por aerossóis durante hospitalização.
  4. Orientar o responsável quanto à promoção de um ambiente arejado na residência, restrição de visitas que nunca tiverem a doença, principalmente, pessoas imunocomprometidas e gestantes. Crianças infectadas não devem frequentar a escola ou creche, durante nove dias após o início dos sintomas.
  5. Orientar aspectos relacionados a imunização, faixa etária, esquema vacinal, possíveis reações adversas, etc. 

Devo realizar notificação?

Sim. Deve realizar notificação compulsória de todo caso suspeito ou confirmado de sarampo dentro das primeiras 24 horas. Deve ser comunicado à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e à Secretaria Estadual de Saúde (SES).  

Baixe o aplicativo NurseBook e acesse os principais diagnósticos e cuidados de Enfermagem!

Autora: 

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.